Grupo Cidade
FIEC Summit 2022 destaca a importância do Ceará na produção de Hidrogênio Verde

O evento acontece com players de mais de 20 países para debater sobre a produção de hidrogênio verde

Começou na última quarta-feira, 3, a primeira edição do FIEC Summit. O evento tem como tema o hidrogênio verde e é realizado na Casa da Indústria. Várias autoridades estiveram presentes durante a cerimônia de abertura, dentre elas, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Ricardo Cavalcante; Joaquim Leite, ministro de Estado do Meio Ambiente; a governadora do Estado do Ceará, Izolda Cela, e o prefeito de Fortaleza, José Sarto Nogueira.

O encontro, que acontece até esta quinta-feira, dia 4, conta com players de mais de 20 países para debater sobre a produção de hidrogênio verde. Por lá, palestras e apresentações de cases nacionais e internacionais, além de exposições, debates e rodadas de negócios.

“Este evento foi pensado para ser um fórum aglutinador de ideias geradas no setor produtivo, na Academia, no poder público e na sociedade civil organizada com foco no desenvolvimento sustentável do nosso estado, da região Nordeste e, por que não dizer, do Brasil e do mundo. O FIEC Summit é resultado da união de esforços entre a Federação das Indústrias do Estado do Ceará e a Confederação Nacional da Indústria, com o propósito de contribuir de forma efetiva para o amplo movimento multissetorial e multinacional em curso no mundo inteiro, pela sustentabilidade do planeta”, afirmou Ricardo Cavalcante. 

Representando o Governo Federal, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, destacou que o Nordeste será referência para o mundo na produção de energia limpa: “O caminho é aqui, o caminho é esse. Com o hidrogênio verde vamos trazer solução e gerar empregos. A nova indústria no Nordeste será verde, pois vocês vão ter energia excedente, renovável e limpa. Isso é um belo exemplo. O Nordeste será um grande produtor de energia limpa para o mundo”. 

A expectativa é que, com o hidrogênio verde, ocorra uma elevação na oferta de produtos verdes, tais como: aço, cimento, entre outros. Dessa forma, abre-se uma oportunidade para o setor industrial brasileiro relacionada ao maior aproveitamento do potencial de energias renováveis, aliado ao fato do Brasil ter uma das matrizes energéticas elétricas mais limpas e renováveis do mundo. Além disso, o Brasil possui uma matriz de energia elétrica não somente elétrica, cerca de quatro vezes mais renovável que a média mundial.

Acompanhe nos cliques da FIEC/Divulgação:

COMENTÁRIOS