Grupo Cidade
Com menos casos, 100% dos leitos da Hapvida Ceará criados para combater a Covid foram desativados

Segundo dados do Hapvida, em comparação ao primeiro trimestre desse ano, houve uma diminuição relevante do número de internações, de 200 para 20 pessoas internadas por dia

Foto: Divulgação

Após a diminuição do número de casos no Ceará e em todo o Brasil, a rede Hapvida Ceará já desativou todos os 732 leitos extras de enfermaria e UTI criados durante a pandemia para atender casos de Covid-19. O número representa o avanço da vacinação no País, que fez com que o número de internações diminuísse significativamente. 

No Brasil, mais de 95% dos leitos extras já foram desativados. Segundo dados do Hapvida, em comparação ao primeiro trimestre desse ano, houve uma diminuição relevante do número de internações, de 200 para 20 pessoas internadas por dia. A média de permanência no hospital também reduziu para 3,7 dias de internação, nível considerado pré-pandêmico. 

“Estamos muito satisfeitos com o trabalho realizado até aqui, em um cenário completamente adverso. A maior parte do recurso foi investido em materiais, equipamentos de proteção e na expansão da capacidade hospitalar. Como o Hapvida permanece, todos os investimentos realizados no combate à Covid-19 puderam ser utilizados de forma perene nas mesmas unidades ou em novas localidades. Isso é extremamente confortante e motivador”, diz Anderson Nascimento, Head da Rede Própria do sistema, em nota enviada para a imprensa. 

Segundo informações da empresa nacional, R$ 220 milhões foram destinado para o enfrentamento da pandemia, sendo R$ 62 milhões para contratações de seis mil profissionais da saúde.

O sistema no Ceará consiste em seis hospitais, cinco pronto atendimentos, 21 clínicas e diversos laboratórios de exame e imagem. Empresa cearense, a Hapvida também tem unidades no Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Sergipe.

 

COMENTÁRIOS