Grupo Cidade
Fundação Edson Queiroz promove live pelos 90 anos do artista polonês Maciej Babinski nesta terça

A transmissão, que conta com um vídeo-documentário sobre a vida do artista, começa às 19h30min e será exibida pelas redes sociais da Unifor

Foto: Hélio Filho/Divulgação

Os traços marcantes, as cores em destaque, os formatos simbólicos e as temáticas misturadas entre os anos de viagens e a vivência cearense. O artista polonês Maciej Babinski por muito tempo não se fixou em canto nenhum, até descobrir o Ceará, em 1991, e o lugar virar sua terra de trabalho e vivência. Os 90 anos desse artista serão celebrados em live nesta terça-feira, 20, organizada pela Fundação Edson Queiroz. 

A transmissão, que conta com um vídeo-documentário sobre a vida do artista, começa às 19h30min e será exibida pelas redes sociais da Unifor (Instagram e Facebook) e pela TV Unifor (canais 14 da Multiplay e 181 da NET e YouTube).

A homenagem contará com o próprio artista, que hoje reside na zona rural da cidade de Várzea Alegre, no Ceará, além de amigos e admiradores, como a curadora Dodora Guimarães, presidente do Instituto Sérvulo Esmeraldo, o artista plástico Stênio Burgos, o médico Drauzio Varella, entre outros nomes de destaque. 

"Esperando Godot", de Babinski

Gravador, ilustrador, pintor, desenhista, professor, Babinski faz de sua arte o fruto de sua vivência. O artista, nascido em Varsóvia em 1931, migrou para a Inglaterra em 1940 devido à Segunda Guerra Mundial. Em 1949, se mudou para o Canadá, onde estudou pintura na renomada McGill University. Em 1953, chega ao Brasil, passando assim pelo Rio de Janeiro, Brasília, Araguari, Uberlândia e, por fim, Várzea Alegre. 

"Babisnki é um mestre da gravura brasileira. É um artista que é responsável pela formação de inúmeros artistas e sua obra está em pé de igualdade com a obra de grandes artistas modernistas do mundo. Ele mora no Ceará há 30 anos e essa é uma dádiva ao nosso estado porque, no sítio Exu, em Várzea Alegre, ele faz um registro fabuloso sobre sua vida no sertão cearense. É um artista com uma vasta cultura visual. É humanista, uma pessoa que viveu entre guerras e, ao longo da vida, atravessou as diversas revoluções ocorridas na primeira metade do século XX, e que chega no século XXI, nesse ano difícil de 2021, com muita vitalidade, muito vigor e uma obra vigorosa. Viva Babinski, é um grande orgulho tê-lo no Ceará", destaca a curadora e aritsta plástica Dodora Guimarães, que também é amiga do artista homenageado. 

Misturando paisagens de locais que passou com o imaginário da arte moderna, o artista assina diversas peças de renome, como “O Filho” (2003), “Chacina” (1993) “Esperando Godot” (2000), peça que inclusive faz parte da exposição “50 Duetos”, em exposição no Espaço Cultural Unifor.

Serviço
Live “Homenagem Babinski 90 anos”
Quando:
terça-feira, 20 às 19h30min 
Onde: TV Unifor (canal 181 – NET e canal 14 - Multiplay), pelo Instagram @uniforcomunica e no Facebook e Youtube da Unifor
 

 

COMENTÁRIOS