Grupo Cidade
"O que é a síndrome metabólica?", por Maryna Landim

Foto: Reprodução

A síndrome metabólica refere-se a um conjunto de fatores de risco que parecem aumentar o risco de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2. 

Se você tem síndrome metabólica, pode não ter nenhum sintoma específico. Mas ela é mais comum em pessoas com sobrepeso ou obesas, e que levam uma vida bastante sedentária e com uma dieta desequilibrada.

Aliás, para você entender de forma detalhada o que é a síndrome metabólica, sintomas e tratamento, compartilho com vocês o artigo abaixo. Vamos conferir?

O que é a síndrome metabólica?

A síndrome metabólica é um grupo de cinco fatores de risco que, quando não tratados, aumentam a probabilidade de desenvolver doenças cardíacas, diabetes e derrame. 

Os cinco fatores de risco são:

Pressão arterial elevada, incluindo tomar medicamentos para baixar a pressão arterial
níveis elevados de glicose no sangue (resistência à insulina) ou tomar medicamentos para baixar o açúcar no sangue
excesso de gordura na região abdominal
níveis elevados de triglicerídeos ou tomar medicamentos para diminuir seus níveis
níveis baixos de colesterol bom ou HDL, ou tomar medicamentos para controlar o HDL baixo

Ter um desses fatores de risco não significa que você tenha síndrome metabólica. No entanto, ter um aumentará suas chances de desenvolver doenças cardiovasculares. 

Mas, ter três ou mais desses fatores resultará em um diagnóstico de síndrome metabólica e aumentará o risco de complicações de saúde, incluindo diabetes tipo 2.

A síndrome metabólica é comum. Por exemplo, no Brasil, mais de 29% das pessoas têm essa condição, chegando a mais de 40% nas pessoas com mais de 60 anos.

Quais são os sintomas?

Se você tem síndrome metabólica, pode não ter nenhum sintoma específico. Por exemplo, um sinal que pode ser observável é uma cintura maior ou um corpo em forma de maçã.

Mas, se você tem alto nível de açúcar no sangue, pode notar sintomas de diabetes, incluindo aumento da sede, visão turva, dores de cabeça e fadiga.

Além disso, se você tiver um dos cinco fatores de risco da síndrome metabólica, converse com um médico para determinar se você deve fazer exames para os outros.

Quais são as complicações da síndrome metabólica?

As complicações que podem resultar da síndrome metabólica são frequentemente graves e de longo prazo (crônicas). Eles incluem:

endurecimento das artérias (aterosclerose)
diabetes
doença cardiovascular
infarto
doença renal
derrame
doença hepática gordurosa não alcoólica
doença na artéria periférica

Se o diabetes se desenvolver, você pode estar em risco de complicações de saúde adicionais, incluindo:

lesões oculares (retinopatia)
lesão do nervo (neuropatia)
doença renal
amputação de membros

Como é o tratamento

A saber, se você for diagnosticado com síndrome metabólica, o objetivo do tratamento será reduzir o risco de desenvolver mais complicações de saúde.

Dessa forma, é recomendado mudanças no estilo de vida, por meio de uma dieta saudável, exercício regular, incluindo exercícios aeróbicos ou treinamento de resistência. Além disso, é também importante a perda de peso: perder cerca de 7% do seu peso atual e fazer pelo menos 30 minutos de exercícios moderados a intensos 5 a 7 dias por semana pode ajudar a reverter a síndrome.

Cuide da sua saúde

Como se viu, a Síndrome Metabólica é uma condição grave e que pode levar ao desenvolvimento de diversas doenças crônicas.

E a melhor forma de evitá-la é por meio de um estilo de vida saudável. Por exemplo, comer mais alimentos naturais e evitar sempre que possível os industrializados, se exercitar mais, dormir melhor.

São coisas relativamente simples de fazermos no nosso dia a dia, mas que proporcionam inúmeros benefícios para a nossa saúde, não é mesmo?

Por Maryna Landim Borges

CRM CE 16.304

 

COMENTÁRIOS