Veja como se cadastrar para a vacina da Covid-19; Grupo prioritário será primeiro a ser vacinado

O cadastro pode ser feito inteiramente on-line e não é necessário que a pessoa vá a uma unidade de saúde

Foto: Reprodução

Com projeções para receber pelo menos três vacinas contra o novo coronavírus, a expectativa é que os lotes de vacina, que serão destinados à vacinação do grupo prioritário contra a Covid-19, comecem a chegar no Ceará ainda em janeiro. Apesar de não haver um prazo determinado para o Ceará, a Secretaria de Saúde (Sesa) estimula que a população realize um cadastro prévio no aplicativo ConecteSUS, do Ministério da Saúde, para começar as preparações para a vacinação.

O cadastro pode ser feito inteiramente on-line e não é necessário que a pessoa vá a uma unidade de saúde. Ainda, é possível que já exista um cadastro realizado. Para confirmar, basta checar no site do ConecteSUS

Da mesma forma que vacinadores e unidades de saúde, o cadastro é essencial para a organização da Secretaria de Saúde em relação à vacina. As primeiras pessoas a serem vacinadas devem ser os grupos prioritários, como definido no Plano de Imunização Nacional, que somam cerca de 2,6 milhões no Ceará. 

Os primeiros a serem vacinados, na primeira fase, serão profissionais da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena. Já na segunda fase, entram pessoas de 60 a 74 anos. 

Por fim, o terceiro grupo a ser vacinado serão pessoas com comorbidades (como portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares).

Para realizar o cadastro, basta:

1. Entrar na página do ConecteSUS

2. Informar o CPF

3. Confirmar informações, como data de nascimento e filiação

4. Criar uma senha, de acordo com especificações do site

5. Informar o celular para receber um código de confirmação e confirmar a identidade no site

6. Aceitar a autorização de uso de dados e os termos de uso 

7. Consultar histórico na página

Vacina no Ceará

Ainda não é confirmada a informação de qual vacina chegará ao estado do Ceará, mas o Governo vem negociando com pelo menos três laboratórios. Em dezembro, o governador Camilo Santana (PT) se reuniu com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para discutir sobre a compra do imunizante CoronaVac, da farmacêutica chinesa Sinovac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

Leia também | Coronavac tem eficácia geral de 50,4% no estudo feito pelo Butantan

Poucos dias depois, o governador disse em entrevista que a vacina que deverá chegar ao Ceará é a desenvolvida pela farmacêutica Astrazeneca e Universidade de Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

No último fim de semana, o Governo do Estado anunciou que estava “em entendimentos” com as farmacêuticas Pfizer e BioNTech para a possível compra de 1,4 milhão de doses do imunizante dos laboratórios. Por necessitar de uma conservação de -70ºC, a vacina ficará em freezers emprestados da Universidade Federal do Ceará (UFC). 

 

COMENTÁRIOS