Grupo Cidade
Cerbras estreia em novo ranking nacional do GPTW


Foto: Divulgação

Ana Lúcia Mota, seus filhos Ticiana, Mariana e Felipe e a neta Isabel estão comemorando mais uma conquista de sua Cerbras, fábrica de revestimentos cerâmicos e porcelanatos: a 22ª colocação na primeira edição do ranking nacional criado pelo Great Place To Work (GPTW) para as indústrias.

O ranking listou ao todo 80 indústrias de todo o Brasil. E a Cerbras foi a única empresa do segmento a figurar entre as melhores indústrias para trabalhar no Brasil.

A premiação é realizada pelo GPTW, em parceria com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), que anualmente avaliam e premiam as empresas, em nível nacional e regional, com as melhores práticas culturais em relação aos seus colaboradores. Entre os critérios analisados: a qualidade do ambiente de trabalho, a relação de confiança entre os líderes e práticas de gestão.

Para a presidente da Cerbras, Ana Lúcia Mota, essa conquista marca a história da empresa, que já ganhou o prêmio GPTW por nove anos consecutivos a nível regional, e agora alcança um ranking nacional. "A conquista é reflexo de um árduo trabalho de dedicação ao nosso time. Atualmente, a Cerbras conta com mais de 1.000 colaboradores e acreditamos que o bem-estar de cada um reflete diretamente para que as metas e os resultados sejam alcançados com cada vez mais qualidade e eficiência", destacou ela.

Sobre a Cerbras

Com 30 anos de excelência, profissionalismo, tradição e certificação de qualidade em seus produtos, a Cerbras firma-se como uma empresa genuinamente brasileira de referência no mercado de cerâmicas e porcelanatos. A empresa compõe o hall das 10 maiores do país no segmento. Atualmente, a capacidade produtiva da fábrica é de 35 milhões de m²/ano, incluindo as tipologias Cerâmica, Porcelanato e Super Prime, esta última lançada recentemente de forma pioneira no Brasil, sendo a primeira cerâmica polida e retificada do mercado. Para isso, une a tecnologia à seriedade, credibilidade e fidelidade, sem abrir mão da imprescindível responsabilidade socioambiental e da participação humana em todos os processos.

COMENTÁRIOS