Grupo Cidade
Fundadora da CL Designs Interiores, Camila Leite deixou carreira em Administração para seguir sonho

Com o foco cliente e construindo seus próprios projetos autorais, Camila testa novas técnicas - como a renderização e o projeto 3D - e cria novas sensações

Foto: Lino Vieira

"Toda casa tem o potencial de inspirar". A frase é da CL Design de Interiores, fundada pela designer Camila Leite. Antes graduada em Administração, e chegando a exercer a profissão em grandes empresas, a hoje designer sempre teve a vontade de construir uma nova carreira, mas dessa vez no design de interiores. Em 2005, ssaiu de sua terra natal, o Rio de Janeiro, e chegou em Fortaleza, mas o sonho permaneceu. Assim, com coragem e a determinação de uma sonhadora, largou o emprego e entrou no curso de Design em 2012. Após três anos, se formou ao mesmo tempo em que abriu sua empresa, a CL Design Interiores.

Com o foco cliente e construindo seus próprios projetos autorais, Camila testa novas técnicas - como a renderização e o projeto 3D - e cria novas sensações. A designer conversou com a Frisson e contou um pouco sobre sua trajetória, que inclui diversos cursos de especialização e um caminho de coragem e descoberta. 

Frisson: Você não é do Ceará. Há quanto tempo está aqui e o que te trouxe até o Estado? 

Camila Leite: Sou carioca (Rio de Janeiro). Conheci meu marido na época da sua residência no RJ. Nos conhecemos e iniciamos um namoro e, com seis meses, ele voltou para sua cidade natal, Fortaleza. Por conta da distância e custo, resolvemos nos casar. Esse ano vamos fazer 16 anos de casados e 16 anos que moro aqui.

Frisson: Você é formada em Administração. Pode contar um pouco sobre sua graduação?

Camila Leite: Sou formada em Administração pela Estácio, trabalhei muitos anos em grandes empresas, mas sempre gostei dessa área de arquitetura e design, mas não tinha coragem de voltar aos estudos e iniciar do zero. Meu pai é engenheiro e eu era sócia da construtora. Mas um belo dia, olhando na internet, descobri o curso de design de interiores, pesquisei, fiz alguns cursos antes de me matricular (não queria perder tempo e depois me arrepender), e me identifiquei bastante. Me matriculei e, no primeiro semestre, quando iniciaram as matérias de projetos, eu já comecei a fazer como um "portfólio" do meu próprio  escritório. Em 2021 faço seis anos de formada. 

Frisson: Você disse que já tinha o sonho de fazer design. O que adiou esse sonho e qual foi o motivo que a fez perseguir o sonho agora? 

Camila Leite: Sempre me identifiquei com esta profissão, só não tinha coragem de reiniciar uma faculdade, largar emprego, 3 filhos pequenos, longe da família para começar uma vida de estudante. Um certo dia, meu marido me incentivou, me ajudou pagando minha faculdade, investiu em mim! Então, comecei as aulas como se eu estivesse entrando em meu escritório, com as mesmas responsabilidades e com um "prazo" para finalizar para seguir carreira e ganhar o meu "dinheiro", ser independente. Pensei: São três anos de faculdade, mas se eu não fizer agora, daqui a três anos vou me arrepender de não estar me formando!

Frisson: Como você definiria o trabalho do designer de interiores? Qual a relevância social desse profissional? 

Camila Leite: O trabalho de design é muito gratificante, é entrar na intimidade, na alma da pessoa e é muito responsabilidade, pois realizamos sonhos! Precisamos ter cuidado porque na maioria dos clientes, são anos e muitos anos para realizar esse grande sonho. Precisamos ter um bela sensibilidade e agregar todos esses "requisitos", sonhos, custo, funcionalidade, beleza, bem estar, paciência... Tudo em um "único pacote" 

Frisson: E sobre a criação da CL, qual a história da empresa? 

Camila Leite: Através do meu nome Camila Leite e na tentativa de fixar a "marca", surgiu CL Design de Interiores. O escritório foi montado assim que saí da faculdade. Senti a necessidade de ter um espaço para fazer meus trabalhos, porque em home office não tenho disciplina (como amo o que faço, em casa eu não tinha limites de horários, trabalhava muito mais e pela saúde do meu casamento, dos meus filhos e minha, resolvi investir em montar o meu espaço. 

Frisson: Pode nos contar sobre seu processo criativo na criação dos projetos? 

Camila Leite: A criação parte da necessidade e gosto do cliente. Trocamos muitas informações, fotos de projetos de nosso escritório ou de inspirações e, a partir daí, inicio a criação. Todos os projetos, sem nenhuma exceção, saem da minha cabeça. Vou até o cliente, faço várias perguntas, vejo as necessidades e traço mentalmente algumas ideias. Sempre pergunto ao cliente o que NÃO gosta, quais cores NÃO gostam, porque às vezes o projeto pode estar lindo, mas se colocarmos algo que ele não gosta, "estraga" tudo (risos). 

O mesmo que fazemos com nossos clientes do Ceará, em projetos presenciais, também fazemos com os clientes de projetos on-line. Conseguimos dar o suporte, assessoria... Tudo com a mesma qualidade.

Frisson: Você utiliza muita madeira em vários de seus designers. Por que e que outros elementos você acredita que é uma marca sua em seus projetos? 

Camila Leite: Realmente gosto muito da madeira, dá sempre um aconchego ao ambiente, é atemporal e é o "casamento perfeito". Sempre tento trabalhar com a personalidade do cliente, e foi daí que surgiu a nossa empresa de personalizados, que incluem quadros, almofadas, roupa de cama, toalhas de banho... Para tudo ficar ainda mais a cara do cara do cliente, personalizar a minha marca e não ficar com cara de que todos os projetos são iguais. Para ter a minha identidade sutilmente

Frisson: Qual a importância de uma renderização para o seu negócio? Você aprova mais projetos com fotos realistas? 

Camila Leite: A renderização é a cereja do bolo de nosso escritório. O cliente, quando recebe as imagens, sempre fica na expectativa da realização e isso faz ele acreditar que vai ficar lindo. Vi essa necessidade quando apresentamos em 2D (Autocad), e o cliente tinha muitas dúvidas e nem sempre ou quase nunca eles tinham essa visão. Então, o 3D em nosso escritório é obrigatório. Hoje já estamos executando alguns projetos em realidade virtual (em vídeo), mas tudo vai depender do perfil do cliente, valores do projeto... É mais um cereja no bolo diferenciada 

Frisson: O quanto facilita para você e seu cliente a criação dos projetos utilizando o 3D? Que vantagem você vê em trabalhar com softwares originais?

Camila Leite: Ele tem a sensação de estar dentro do ambiente, eles se empolgam mais nos projetos, curtem o momento e ainda pedem: “Ah, quero ver meu projeto no Instagram hein!” Quando alguns recebem o vídeo do passeio virtual, curtem bastante e ficam impressionados com a realidade de como vai ficar.

Frisson: Quais conceitos e sensações você prioriza no design? E como eles são importantes para um projeto? 

Camila Leite: Sensação de realização. Cada projeto é um sonho, faço como se fosse para mim! Me realizo em cada cliente. Priorizo a necessidade, funcionalidade, a realidade financeira de cada um, para que todos possam realizar este sonho.

Frisson: Qual projeto é sua “menina dos olhos”? Pode contar um pouco sobre ele? 

Camila Leite: Foi o projeto de um quarto de uma menina de seis anos. Foi 100% personalizado (do piso ao papel de parede), projeto que obteve a maior e melhor visualização nas redes sociais. A mãe nos procurou porque a filha não queria dormir no próprio quarto, então foi um projeto bem detalhado (do quarto ao banheiro). Foi tudo escolhido a dedo. A melhor sensação foi a ansiedade da menina e nossa "negociação" com a dona do quarto. Assim que ficou pronto, ela disse: “vocês realizaram meu sonho, ter um quarto igual a mim, lindo e o mais bonito de todos!”. A emoção foi grande!

 

Frisson: Quais são suas referências na área? 

Camila Leite: Irmãos à obra

Frisson: Quais desafios você observa no mercado do Ceará? 

Camila Leite: Um mercado bem restrito e com poucas oportunidades. Sinto que muitas pessoas fazem questão de determinados nomes, determinados profissionais, como se fosse um rótulo. Senti muito no começo, pois não tenho ninguém da família na área de arquitetura ou design para me ajudar, não tenho sobrenome conhecido e minha cidade natal é outra.  Foi daí que tive a ideia de iniciar os projetos online, que posso dizer que fui a primeira a criar esse método, inclusive fui para São Paulo para a [feira de design autoral]High Design para dar uma palestra com este tema: projetos online para todo o Brasil.

Frisson: Pode falar um pouco sobre suas especializações e atividades complementares no ramo?

Camila Leite: Hoje atuo no mercado residencial, comercial e corporativo, mas 80% no residencial. Atualmente estou fazendo uma especialização presencial em arquitetura hoteleira em SP, Faculdade Roberto Miranda, com extensão em Milão. Já fiz curso de desenho de prancheta (desenhos feitos a mão, com lapiseira, em pepal vegetal e sobre a mesa). Em seguida, fiz o curso de Autocad (trabalhamos com os detalhamentos de todo o projeto). Fiz curso de sketchup (maquete eletrônica, que é esse o programa da "cereja do bolo"); curso de vray : é um programa que utilizamos para renderizar os projetos, neles vemos as imagens mais reais, sombra, espelhos, iluminação = fotorealismo.

A partir daí, resolvi me matricular na faculdade Estácio. Paralela a faculdade, pensando em fazer algo diferente e que agregasse na minha área, fui a SP para fazer durante uma semana bem intensa curso de maquete física (são aquelas maquetes que as construtoras apresentam nos stands de vendas). Gostei muuuito, mas precisava investir muito em maquinários, galpão, espaço fisico... Enfim, acabei desistindo pela viabilidade do investimento e o marcado muito fechado aqui em Fortaleza. 

Como não gosto de ficar parada, e sempre querendo inovar, resolvi fazer uma pós em arquitetura de luxo em SP; são projetos para mansões, aviões, barcos, hangar, portos, fazendas, haras... Mais uma vez vi que nosso mercado está cada vez mais fechado e aberto para alguns nomes (prefiro não ressaltar). E no momento atual, estou cursando pós em MBA em Arquitetura Hoteleira e extensão em MIlão, concluo no final deste ano. Este curso abrirá as portas para hoteis, pousada, hostel, tanto para a parte de projetos (cozinha, brinquedoteca, estrutura, quartos, área de lazer, parque aquatico...), como poderemos investir no consultoria de melhorias de quem quer dar um up ou startar o seu negocio hoteleiro. Mas, lembrando que não deixarei de projetar a área residencial, comercial e corporativa, onde foi ela que me trouxe até aqui e eu amo o que faço.

Paralelo aos projetos, senti a necessidade de fazer algo que completasse mais meus projetos e personalizasse "a minha e a cara do nosso cliente", e foi daí que surgiu a "LALICE", nossa marca de estampas personalizadas para quadros, roupas de cama, almofadas, adesivos, papeis de paredes personalizados... Todas as artes produzidas e fabricadas por nós. E, em breve, como minha cabeça não para, estou com uma nova proposta em mãos, só estou analisando a viabilidade e depois conto para vcs!

Frisson: Quais são seus objetivos profissionais nestes próximos anos? 

Camila Leite: 1 - Objetivos de ingressar na área de projetos hoteleiros, agregar muito mais no Ceará e em outra capitais

2- Ser um "irmão a obra", do projeto a execução - fechar um projeto e execução, a realização do sonho 100% feito por nosso escritorio 

 

COMENTÁRIOS