Grupo Cidade
Designer de interiores, Milena Munhoz constrói projetos a partir de elementos “eternos” e conforto

A designer conversou com a Frisson sobre sua trajetória, processo criativo e inspirações. Confira

Foto: Lino Vieira

Do direito para a publicidade, e da publicidade para a sua verdadeira vocação: o design de interiores. A designer Milena Munhoz passou por vários anos de estudo e por momentos de escolhas para conseguir se encontrar no design. Sócia do escritório J I M Arquitetura + Design, criado em 2020, Milena prioriza elementos clássicos e naturais em seus projetos, de forma a garantir conforto e a sensação de estar em casa.

A designer conversou com a Frisson sobre sua trajetória, processo criativo e inspirações. Confira:

Frisson: de cursar Publicidade e Design, você cursava direito. Pode relembrar sua trajetória de estudo? 

Milena Munhoz: Cursei Direito na Faculdade Farias Brito em 2004. Era muito nova, gostava de me comunicar e o direito pareceu uma escolha aceitável! Mas, apesar de achar uma profissão incrível e ter aprendido muita coisa que vou levar para a vida, sempre me vi inclinada ao mundo da arte e criação! 

Frisson: O que motivou a mudança de publicidade para design de interiores? 

Milena Munhoz: Quando eu terminei a publicidade, eu tinha acabado de ter minha filha e me casado. Eu tava numa movimentação muito focada na minha família e eu não conseguia focar na publicidade porque o mercado de trabalho é um pouco difícil, provavelmente eu ia trabalhar para alguém e eu precisava ter um pouco de flexibilidade porque eu queria estar focada nessa nova dinâmica familiar. Aí eu tive a primeira filha, o segundo, e eu vi que eu não precisava ser tão focada assim, eu consegui fazer as duas coisas. Mas eu não via como depois de cinco anos me inserir no mercado de trabalho da publicidade. Ai eu tinha esse dom meio natural. Eu sempre estava fazendo as coisas por vocação, a parte de finalização, ambientação. Isso sempre me fascinou muito e eu comecei a ter vontade de trabalhar nessa área. O mais legal do meu escritório, é que eu consigo flexibilizar os horários. Então eu consigo atender às necessidades da minha família. (...). Mas acho que, principalmente, o que me fez ir para o design foi a vocação. O que eu mais vejo é talento mesmo. Eu estudei isso, mas o estudo aperfeiçoou o que eu já tinha de forma particular. Essa parte de harmonização, de como compor, perceber um layout melhor… Já era algo natural, então já era natural eu seguir esse rumo. 

Frisson: Você é publicitária, formada em design de interiores e trabalha com arquitetura. Como essas áreas se conectam ou dialogam? 

Milena Munhoz: A Publicidade foi uma porta de entrada e é uma profissão que me adiciona muito na área que exerço hoje! Aprendi a ter um olhar mais apurado e com ela que tive a primeira imersão na arte de produzir sensações! Na Publicidade, a gente precisa comunicar, de forma sutil ou explícita, através do desejo e das sensações. E ter esse feeling é algo importantíssimo no Design e na Arquitetura.

Quando criamos um espaço, o ponto de partida é compreender do cliente o que ele quer sentir e o que ele quer viver naquele local. Com as escolhas certas, conseguimos produzir sensações e interpretar a personalidade de quem vai viver ou se relacionar com o espaço. Eu cresço muito profissionalmente quando consigo trazer para o resultado final o conhecimento das duas profissões. 

Frisson: Você é hoje sócia da J I M Aquitetura + Design. Pode falar da empresa?

Milena Munhoz: A JIM Arquitetura e Design nasceu em 2020 do amor em transformar a vida das pessoas. É incrível o impacto que conseguimos produzir na vida do outro através de mudanças em espaços. Quando criamos um ambiente, vamos muito além da estética. A gente transforma e cria qualidade de vida! E isso é fascinante! 

O nosso escritório é focado em arquitetura residencial, corporativa e interiores. Temos uma equipe sólida de oito estagiários e arquitetos, mas o principal é que toda a criação passa pela minha mão e a da Juliana, minha sócia. Pois a gente faz questão de imprimir o nosso DNA em tudo que fazemos. 

Frisson: Como sentiu a mudança do mercado de arquitetura e design com a pandemia? 

Milena Munhoz: Percebemos uma valorização natural do cliente para com o profissional. 

Frisson: Com o movimento do “fique em casa”, houve uma mudança de olhar e significado para o lar? 

Milena Munhoz: Com a pandemia, as pessoas tiveram que olhar pra dentro do lar. 

O movimento “fique em casa” ressignificou para muitas pessoas que o “ verdadeiramente importante” é o que temos em família, e que este vive em nosso lar. Investir no local em que moramos impacta muito na qualidade de vida. Nada melhor do que estar em casa e ter orgulho do lar, em ter um espaço que atenda as necessidades e que te permita viver momentos.

Frisson: O que as pessoas vêm buscando atualmente no design e na arquitetura? Há alguma tendência? 

Milena Munhoz: Hoje as pessoas vem procurando trazer a natureza pra dentro de casa! A natureza em sua forma bruta, e como tal, imperfeita! Texturas naturais, linho, tecidos com tramas que passem sensação de conforto. Materiais amorfos, que lembrem a forma orgânica que encontramos na natureza são uma tendência forte. As pedras e madeira em sua forma natural, sem brilho, hoje no design  O imperfeito é o cool. 

Frisson: Como é a definição de cada projeto para uma pessoa? Pode explicar o processo? 

Milena Munhoz: Cada projeto é feito individualmente. As pessoas são muito diferentes e têm necessidades como a tal, então é importante a gente perceber o que é persistente para aquela família ou empresa. Nosso primeiro contato é com uma conversa despretensiosa, onde conseguimos perceber necessidades e estilos que muitas vezes nem o cliente sabe que tem! Criamos um briefing com o plano de necessidade onde tomamos o ponto de partida para o processo de criação.

Frisson: É possível perceber uma preferência a tons terrosos, madeira etc, em seus projetos. Quais elementos estão presentes nas suas ideias? 

Milena Munhoz: Nós, apesar de estarmos muito ligadas às tendências e à movimentação de referências no mundo da arquitetura e design, procuramos fugir de algo que julgamos “modinha”! Nosso escritório cria para que um projeto em dez anos continue atual e belo. Para isso, procuramos trabalhar uma base mais limpa, com elementos eternos. 

Frisson: Há algum movimento estético ou arquitetônico que esteja presente em seus trabalhos? 

Milena Munhoz: Nós seguimos a linha do new classic. Trazemos uma base clássica, com uma nova roupagem. Sabe aquela “poltrona da vovó”, ou uma cômoda em madeira talhada, quando associada a uma paleta de cores mais moderna, um tecido geométrico ou composta em um entorno mais leve, faz o par perfeito! Um apartamento muito clássico, em que predomina móveis em estilo antigo, tem uma atmosfera  mais pesada e um apartamento muito moderno, passa uma sensação fria. Para mim, o perfeito está em quem sabe mesclar os estilos, e é o que buscamos imprimir em nossos projetos. 

Frisson: Pode falar sobre suas inspirações? 

Milena Munhoz: Sou apreciadora da arte e de um bom design e reconheço o peso que ele tem no resultado final. Me inspiro em tudo! Meu olhar não para! Algo que me faz suspirar são as diferenças de culturas. Viajar faz parte da minha rotina e é incrível a quantidade de conhecimento que adquirimos quando nos propomos a “ sair da caixa”. 

Por exemplo, uma viagem que me marcou muito foi para o Marrocos. É um local enérgico, vibrante, colorido e com costumes bem diferentes do nosso! Dubai também me marcou, todo o luxo e a modernidade, a imponência da arquitetura e como essa modernidade impactou na vida deles! Sempre volto com muitas ideias. 

E é claro que além do mundo, também me inspiro no meu núcleo familiar! Sou mãe de três filhos, tenho uma dinâmica  bem movimentada e consigo levar muito dessa vivência para dentro dos nossos projetos. 

Frisson: Qual o papel social do design de interiores? 

Milena Munhoz: O design de interiores tem o papel social, de olhar para o outro individualmente, e assim trazer melhorias para a sua vida.  É a obrigação do design pensar na funcionalidade do espaço e proporcionar a inclusão das pessoas. 

Nós trabalhamos para além da estética e isto é levado em consideração desde a criação de um simples mobiliário até a disposição de todos os móveis.

Confira as fotos de Lino Vieira:

COMENTÁRIOS