Grupo Cidade
"Câncer da pele: O perigo que vem com o sol", por Dra. Viviane Martins

Dra, Viviane esclarece alguns sinais que devemos ficar atentos em relação ao câncer de pele, em alusão ao dezembro laranja

Foto: Lino Vieira

Feridas ou espinhas que não cicatrizam, lesões endurecidas, brilhantes ou avermelhadas e manchas marrons são alguns sinais de alterações na pele em que a pessoa deve estar atenta e visitar com frequência um dermatologista, pois pode estar diante do câncer da pele.

Com a intenção de estimular a população na prevenção e no diagnóstico ao câncer da pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia deu início ao “Dezembro Laranja”. De acordo com a SBD, o câncer da pele é o de maior incidência no Brasil e está diretamente relacionado à exposição ao sol, que ainda pode trazer outros sérios danos à pele, como vermelhidão, queimaduras, bolhas, descamação e envelhecimento cutâneo.

Ao contrário do que muita gente pensa, não são apenas os idosos as vítimas do câncer da pele. Jovens também podem ser acometidos pela doença devido a hábitos que não incluem proteção solar. Vale lembrar que os efeitos do sol são acumulativos, isto é, o sol que você recebe desde a infância influencia no DNA celular por toda a vida.

Saiba que não vale tudo por um bronzeado! O sol é nosso amigo, traz benefícios para a saúde, além de nos nutrir de boas energias e não deve ser evitado a qualquer custo, mas é preciso conviver com ele tomando diversos cuidados.

Um desses cuidados ao tomar sol é em relação ao uso do filtro solar. Você deve reaplicá-lo a cada três horas. Mas esse intervalo diminui (de 2 em 2 horas) em casos de transpiração excessiva, exposição solar prolongada ou após sair da água. Em relação à quantidade ideal de filtro solar, vamos lá:

*uma colher de chá de protetor solar no rosto, no pescoço e na cabeça;

*uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco e outra para a parte de trás;

*uma colher de chá para cada braço;

*uma colher de chá para a parte da frente de cada perna e outra para a parte de trás de cada perna.

Quanto ao fator de Proteção Solar (FPS), o mais indicado é o de no mínimo 30. Bom atentar também para usar um filtro solar que tenha PPD ou proteção aos raios UVA no mínimo de 12, para que você esteja protegido contra os raios UVA e UVB.

Quanto ao fator de Proteção Solar (FPS), o mais indicado é o de no mínimo 30. Uma dúvida recorrente: o mesmo filtro do corpo serve para o rosto? Não. Os produtos para o corpo costumam ser mais densos e podem causar acne nas peles oleosas. Além do que, o filtro solar desenvolvido para a região do rosto possui outras funções além de proteção.

Você deve apostar também em chapéus de abas largas e sem frestas, óculos escuros e roupas que possuam fator de proteção no tecido. E qual melhor hora pra tomar sol? O melhor para a sua pele é que você evite se expor ao sol entre as 10h e 16h, mas, mesmo assim, usando filtro solar.

Por fim, apesar do câncer da pele trazer medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença.

Obrigada pela leitura e comentários. Para saber mais sobre o mundo da beleza e estética basta me seguir no Instagram (@vivianemartinsdermato)!

Dra. Vivivane é médica dermatologista e colunista da Frisson

 

COMENTÁRIOS