Grupo Cidade
Passaporte sanitário deixa de ser obrigatório no Ceará

De acordo com a governadora, a mudança foi apoiada pelos baixos índices da Covid-19 em todo o Ceará

Foto: Divulgação

A governadora Izolda Cela anunciou que o passaporte sanitário não é mais obrigatório no Ceará. O anúncio foi feito na na última sexta-feira, 5, na divulgação do novo decreto relativo à pandemia da Covid-19. A mudança foi deliberada pelo Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia, que decidiu deixar o passaporte como uma recomendação. O uso de máscara segue obrigatório no transporte coletivo e nas unidades de saúde. 

De acordo com a governadora, em nota enviada pela imprensa, a mudança foi apoiada pelos baixos índices da Covid-19 em todo o Ceará. O Estado vem registrando uma queda de casos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, após ter apresentado um aumento brusco em junho. "Os índices da covid seguem baixos em todo o estado, bem como não há pressão assistencial nas unidades de saúde", destacou Cela, em nota para a imprensa.

O passaporte começou a ser obrigatório em 1º de novembro de 2021, por determinação do então governador do Ceará, Camilo Santana (PT). 

Na manhã do sábado, 6, a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para Covid ou síndrome respiratória aguda grave (SRAG) estava em 52,56%. Já a taxa para os leitos de enfermaria estava em 29,91%. No 1º de julho, no meio da quarta onda, a média móvel de casos estava em 3.764. Já a registrada na última quinta-feira, 4, o número estava em 120.

COMENTÁRIOS