Grupo Cidade
Izolda Cela anuncia fim da tarifa de contingência da água no Ceará

Foto: Divulgação

Com altos volumes de chuva em 2022, que resultaram no aumento das reservas hídricas do Estado, a governadora do Ceará, Izolda Cela (PDT), anunciou o fim da a tarifa de contingência da água, taxa da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) criada em 2015 após um período de escassez hídrica. 

A notícia foi anunciada na última quinta-feira, 5, em live pela governadora, que estava ao lado do titular da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Francisco Teixeira, e do presidente da Cagece, Neuri Freitas.

A taxa de contingência era cobrada de cerca de 353 mil domicílios cearenses dos municípios de Fortaleza, Aquiraz, Cascavel, Caucaia, Chorozinho, Eusébio, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, São Gonçalo do Amarante, São Luís do Curu, Paraipaba e Paracuru. A tarifa é cobrada de imóveis que ultrapassam a meta de consumo mensal, como forma de estimular a economia e o uso responsável da água, em decorrência principalmente da escassez hídrica do Estado. 

Segundo dados do Governo, o aporte dos reservatórios até o momento de 2022 contabilizam 3,64 bilhões de metros cúbicos. O número já é mais que o dobro do registrado em todo 2021, que foi de 1,7 bi. A média total de reservas do Ceará é de 37%. Se for observado apenas o sistema de abastecimento de Fortaleza e Região Metropolitana, o percentual chega a quase 95%. Segundo a governadora, a previsão é chegar a 100% no fim de maio. 

Entretanto, apesar dos bons números na Região Metropolitana, a situação segue preocupante no Sertão Central. Com chuvas irregulares e armazenamento menos expressivos, a Bacia do Banabuiú registra apenas 9% de sua capacidade. 

 

COMENTÁRIOS