Grupo Cidade
Após baixa cobertura vacinal contra Influenza em 2021, Ceará inicia campanha de vacinação

Em 2021, o Ceará vacinou apenas 72% dos cearenses, menor cobertura vacinal do Estado em mais de 20 anos

Foto: Divulgação

Começa a partir desta segunda-feira, 4, e segue até o dia 3 de junho a campanha nacional de vacinação contra Influenza em todo o País. No Ceará, a primeira fase, iniciada nesta segunda, deverá contemplar idosos a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde. Já do dia 2 de maio até o dia 3 de junho, a segunda fase será voltada para crianças a partir de seis meses e abaixo de cinco anos, gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e deficiências permanentes, além de povos indígenas, professores, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo e profissionais portuários. 

As vacinas são eficazes contra contra as cepas H1N1, tipo B e a cepa Darwin H3N2, que foi responsável por um surto de gripo no País o final de 2021. A imunização ocorre nos postos de saúde do Estado e a aplicação da vacina pode ser inclusive feita no mesmo dia da imunização contra Covid

Em 2021, a campanha contra Influenza no Ceará não alcançou a cobertura prevista pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), tendo vacinado apenas 72% dos cearenses. A meta, estipulada desde 2017 para todo o País, é de 90%. Dessa forma, o Estado registrou a menor cobertura vacinal para a doença em mais de 20 anos. Segundo informações da Secretaria da Saúde estadual (Sesa), o Ceará recebeu 3.267.990 doses contra o vírus Influenza, mas apenas administrou 2.631.962 (76,28%). 

A porcentagem da cobertura de Fortaleza ficou maior, tendo alcançado 84,4% do público alvo. Entretanto, o número ainda ficou abaixo da média do PNI. 

A cobertura vacinal de 2021 foi comentada pela orientadora da Célula de Imunização da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Kelvia Borges, em nota enviada para a imprensa. “Nosso intuito é vacinar 90% dos públicos-alvo, incluindo crianças, gestantes, puérperas, idosos a partir de 60 anos, povos indígenas, professores e trabalhadores da Saúde. Em 2021, em virtude da pandemia, apenas 72% da nossa meta foi atingida. Por isso, este ano, deveremos fazer diferente. Quem estiver incluso nas etapas deve se dirigir aos postos de saúde, sempre buscando cumprir o calendário destinado ao seu grupo”.

Em 2021 e no começo de 2022, a Influenza foi motivo de preocupação nacional, visto que uma variante, a H3N2, foi responsável por grande parte das internações de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em janeiro de 2022. O Ceará chegou inclusive a registrar casos de “flurona”, coinfecção de Influenza e Covid-19.  

Vacinação de sarampo 

Também nesta segunda-feira, 4, se inicia a vacinação contra o sarampo, que acontecerá em duas etapas para crianças entre 6 meses e 5 anos. Nesse caso, a meta é alcançar 95% do público. 

Abaixo da meta almejada desde 2015, a cobertura vacinal de sarampo foi de 74,05% para a primeira dose e de 53,43% em 2021. A baixa média é nacional, de forma que, em 2019, o Brasil perdeu o certificado de País livre de sarampo, titulação concedida pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), em 2016.


 

COMENTÁRIOS