Grupo Cidade
Izolda Cela toma posse como governadora do Ceará e reúne secretariado do Estado nesta segunda

Em seu primeiro discurso, Izolda destacou "um desenvolvimento com inclusão social e com respeito às pessoas"

Foto: Divulgação 

A governadora Izolda Cela (PDT) tomou posse como líder do executivo estadual no último sábado, 2, após a saída de Camilo Santana (PT), e se firmou como a primeira governadora efetiva em 489 anos. Já no cargo, Izolda irá reunir pela primeira vez o secretariado do Estado nesta segunda-feira, 4, no Palácio da Abolição. 

Em seu primeiro discurso, Izolda destacou "um desenvolvimento com inclusão social e com respeito às pessoas". Militante da educação, Izolda também falou sobre ser a primeira mulher a assumir o cargo, destacando o "desafio histórico" nesse trabalho de liderança. Ainda, destacou que irá dar continuidade aos projetos desenvolvidos pelo governo.  

Na cerimônia, além de Camilo Santana, também estavam presentes o pré-candidato à presidência, Ciro Gomes, como também o senador Cid Gomes (PDT), o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT) e o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão (PDT).

Após a solenidade de transferência de cargo, em suas redes sociais, a professora falou um pouco sobre seu sentimento pela posse. "Obrigada ao governador Camilo Santana e ao povo cearense pela confiança. É uma honra ser a primeira mulher a governar o Estado do Ceará. Juntos, faremos nosso estado continuar crescendo e se desenvolvendo!”.

A governadora manteve todos os 20 secretários estaduais. Apenas a advogada Socorro França, que assumia a pasta de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Estado, foi exonerada na última sexta-feira, 1º, ainda pelo governador Camilo Santana. A saída de França foi a pedido da própria advogada, que deverá concorrer nas eleições de 2022. Na reunião, Izolda Cela deverá avaliar e discutir os projetos do governo do Estado. 

A saída de Camilo Santana já era esperada. Há mais de sete anos no cargo, o ex-governador deverá concorrer a uma vaga para o Senado. 

 

COMENTÁRIOS