Grupo Cidade
HOME NOTÍCIAS NOTÍCIASSUA IMPRENSA
Dor cervical: um desafio do nosso tempo

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que um quarto da população, em algum momento da vida, apresentará dor cervical, chamada de cervicalgia.

A cervicalgia ocorre na região posterior do pescoço e está se tornando uma das principais queixas nos consultórios ortopédicos nos últimos anos. É causada principalmente por sobrecarga muscular e desgaste das vértebras da região cervical.

Dor cervical

Quando os sintomas são intensos e persistentes, ou associados a dor nos braços, dormência, alteração de equilíbrio e perda de força nos membros é importante que seja realizada uma avaliação médica e iniciado o tratamento específico. Nestes casos é importante afastar lesões mais graves e compressão das estruturas neurológicas, como a medula e os nervos cervicais.

Segundo o ortopedista e especialista em Coluna, Dr. Ricardo Teixeira, o número de pessoas com cervicalgia está aumentando a cada ano. Entre as principais razões estão a má postura, o sedentarismo e o uso excessivo do celular e computador.

A cervicalgia está se tornando um problema de saúde pública sobretudo nos grandes centros, onde as longas jornadas em escritórios, o sedentarismo e o uso contínuo de computadores são mais comuns.

De acordo com o especialista, a melhor forma de evitar a dor cervical é evitar a posição de flexão cervical. Dentre as principais medidas de prevenção, cita:

- Ajustar a altura da tela dos computadores, adeque mesas e cadeiras se for necessário

- Limitar o uso do celular e alinhá-los à altura dos olhos

- Realizar pausas periódicas durante o trabalho

- Evitar travesseiros muito altos

- Evitar o tabagismo

- Alongamento cervical periódico

- Atividade física regular que fortaleça a musculatura da região

Felizmente, a maioria dos pacientes melhora com a adequação postural e a melhora dos hábitos diários. Para casos persistentes, podem ser indicadas sessões de fisioterapia, acupuntura e medicamentos como os anti-inflamatórios e relaxantes musculares. Raramente, são necessários procedimentos cirúrgicos.

Dor cervical

O Dr. Ricardo Teixeira é ortopedista e especialista em Coluna pela Universidade de São Paulo – USP. É médico do Hospital Sírio-Libanês e do grupo de coluna do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo - onde contribui com a formação de alunos e residentes e desenvolve seu doutorado em lesões da coluna vertebral.

Para mais informações e dicas acesse: www.drricardoteixeira.com.br

 

COMENTÁRIOS