Grupo Cidade
Após atraso nas segundas doses, Ceará recebe 205.250 doses de AstraZeneca

Ainda nesta sexta-feira, 29, o Ceará recebeu outra remessa de 138.060 doses da farmacêutica Pfizer

Após atrasar as segundas doses da vacina AstraZeneca, o Ceará recebeu na manhã desta sexta-feira, 29, uma remessa de 205.250 doses do imunizante. No total, foram 186.600 que foram solicitadas pelo Governo do Estado para o Ministério da Saúde por meio de ofício para conseguir finalizar o ciclo vacinal da população cearense, além de mais 18.650 de reserva técnica.

Ainda nesta sexta-feira, 29, o Ceará recebeu outra remessa de 138.060 doses da farmacêutica Pfizer. 

Atraso da AstraZeneca

Em Fortaleza, cidadãos relataram atraso no agendamento da segunda dose. Sem vacinas suficientes da AstraZeneca para seguir com a imunização de segundas doses, a Prefeitura de Fortaleza determinou que apenas agendados devem buscar postos de saúde para finalizar o ciclo vacinal. A regra vale até para pessoas que já chegaram na data limite do cartão de vacinação.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde do Município, o repasse dos imunizantes é feito pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), que indica se as vacinas devem ser usadas na primeira ou na segunda dose. 

Nesta quarta-feira, 27, o governador do Estado, Camilo Santana (PT), reforçou junto ao Ministério da Saúde a urgência pelo envio de novas doses da AstraZeneca. "Informo aos cearenses que conversei por telefone há pouco com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e com o ministro substituto, Rodrigo Cruz, sobre o envio de mais vacinas AstraZeneca para o Ceará, de forma a garantir a segunda dose dos cearenses. Nossa Secretaria da Saúde já havia enviado ofício ao Ministério ontem e reforcei a urgência dessa solicitação. O ministro garantiu empenho na solução", disse o governador.

No dia 15 de outubro, o portal do Governo Federal indicou que havia enviado 100% de vacinas Astrazeneca necessárias para toda a população adulta brasileira completar o esquema vacinal. Entretanto, a Secretaria de Saúde indicou que o Ministério da Saúde que define se as doses enviadas devem ser utilizadas para a primeira ou para a segunda dose. 

A Frisson também questionou a Sesa sobre o número de municípios que haviam registrado falta da AstraZeneca, mas não obteve resposta. 


 

COMENTÁRIOS