Grupo Cidade
Nobel de Literatura 2021 vai para romancista tanzaniano Abdulrazak Gurnah

O anúncio foi feito pela Academia Real das Ciências da Suécia na manhã desta quinta-feira, 7

Foto: Reprodução Instagram

O romancista tanzaniano Abdulrazak Gurnah foi o ganhador do Nobel de Literatura de 2021. O anúncio foi feito pela Academia Real das Ciências da Suécia na manhã desta quinta-feira, 7. Segundo a instituição, o autor foi laureado com a comenda "por sua penetração intransigente e compassiva dos efeitos do colonialismo e do destino dos refugiados no abismo entre culturas e continentes".

Abdulrazak Gurnah, 73 anos, nasceu na ilha de Zanzibar, na Tanzânia, mas se dirigiu à Inglaterra como refugiado no final da década de 1960. Começou a escrever com 21 anos no exílio e é autor de dez romances. Antes de se aposentar, era professor de Inglês e de Literaturas Pós-coloniais na Universidade de Kent, em Canterbury, no Reino Unido.

Apesar de ter o suaíli, idioma banto mais falado, como idioma materno, foi o inglês que fez com que Abdulrazak Gurnah fosse reconhecido na literatura. O autor é o primeiro negro africano a ganhar o prêmio de literatura desde 1986, quando o dramaturgo nigeriano Wole Soyinka foi laureado com a comenda. 

Sua obra foi marcada pela temática dos refugiados, fator indicado pela Academia para sua grandeza como escritor. “A dedicação de Gurnah à verdade e sua aversão à simplificação são impressionantes. Isso pode torná-lo sombrio e intransigente, ao mesmo tempo que segue o destino dos indivíduos com grande compaixão e comprometimento inflexível”. 

Trazendo novos olhares sobre a África Oriental, o autor é conhecido por obras como “Paradise” (1994), Admiring Silence (1996) e “Afterlives” (2020), livros que não foram publicadas no Brasil. A Academia ainda ressalta que, por trazer uma visão realista e não estereotipada, Gurnah tem o poder de abrir os olhares para a cultura diversificada de parte do continente africano. 

“No universo literário de Gurnah, tudo está se transformando - memórias, nomes, identidades. Isso provavelmente ocorre porque seu projeto não pode ser concluído em nenhum sentido definitivo. Uma exploração interminável impulsionada pela paixão intelectual está presente em todos os seus livros, e igualmente proeminente agora, em ‘Afterlives’ (2020), como quando ele começou a escrever como um refugiado de 21 anos”. 

Nobel 2021

Pela segunda vez desde a Segunda Guerra Mundial, o tradicional banquete dos laureados do Nobel não acontecerá este ano devido à pandemia. Dessa forma, a Academia Real das Ciências da Suécia irá novamente anunciar os ganhadores dos prêmios de forma on-line. A divulgação deve ocorrer entre os dias 4 e 11 de outubro.

Com 120 anos de história, o Prêmio Nobel é nomeado em alusão ao cientista sueco Alfred Nobel e premia anualmente contribuições para a humanidade em Física, Química, Fisiologia ou Medicina, Literatura e Paz, além de também oferecer um prêmio homenagem de Ciências Econômicas.

Nesta segunda-feira, 4, a dupla formada pelo estadunidense David Julius e o libanês Ardem Patapoutian foi anunciada como ganhadora do Prêmio Nobel 2021 em Medicina por suas descobertas sobre receptores e sensores de temperatura e toque. Já na terça, o trio yukuro Manabe, Klaus Hasselmann e Giorgio Parisi foi laureado com o de Física “por suas contribuições inovadoras para o entendimento dos sistemas físicos complexos".

Já nesta quarta-feira, 6, a dupla Benjamin List e David WC MacMillan recebeu o Nobel de Química “pelo desenvolvimento de organocatálise assimétrica”, pesquisas que consistem na criação de uma ferramenta para a construção molecular de forma a catalisar reações químicas de forma mais sustentável.

Ainda serão anunciados o Nobel da Paz (8) e o prêmio de Economia (11).

 

COMENTÁRIOS