Ceará tem 91,09% das UTIs ocupadas e 88% das cidades com risco alto ou altíssimo da Covid-19

Também no Ceará, os níveis de alerta da Secretaria de Saúde (Sesa) indicavam que 163 municípios estavam com risco alto ou altíssimo da Covid-19, 88% das cidades do Estado

Foto: Divulgação

Quatro dias após a declaração do novo decreto estadual, que define toque de recolher, a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) estava em 91,09% na manhã desta segunda-feira, 22, maior número desde julho de 2020. 

Também no Ceará, os níveis de alerta da Secretaria de Saúde (Sesa) indicavam que 163 municípios estavam com risco alto ou altíssimo da Covid-19, 88% das cidades do Estado. 

Leia também | O que é o toque de recolher, medida prevista no novo decreto e que não se aplica a ônibus municipais

Apenas 17 municípios estavam com risco moderado e nenhum possuía baixo risco, que seria considerado o “novo normal”. O levantamento diz respeito aos dias 7 e 20 de fevereiro, correspondente às semanas epidemiológicas 6 e 7. 

Entre as cidades com o nível altíssimo, estão Fortaleza, Sobral, Caucaia, Crato, Eusébio, Maracanaú e Aracati. Já as com nível moderado estão concentradas no sul do Estado, como Aurora, Assaré, Icó, Lavras da Mangabeira e Santana do Cariri. Todas as informações são do IntegraSUS, atualizado com informações da Secretaria da Saúde. 

Até o momento, o Ceará acumula 410.998 casos confirmados de coronavírus e um total de 10.976 mortes pela doença. 

Novos leitos

Na sexta-feira, 19, o secretário de saúde, Dr. Cabeto, anunciou um aumento de leitos nas UPAs do Ceará e em cada hospital regional do Estado. No total, serão abertas 655 leitos de enfermaria e 464 de UTI em todo o Ceará. 

A proposta é que o número de UTIs cresça de 610 para 805, até o dia 28 de fevereiro, e que, até o dia 31 de março, sejam 1.074 leitos disponíveis. 

Na live, o secretário demonstrou preocupação com as novas mutações do vírus, como a encontrada em Manaus e que já tem casos registrados no Ceará, inclusive de possível transmissão comunitária. 

Decreto estadual 

Desde a última quinta-feira, 18, que está válido o novo decreto estadual, anunciado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Entre as principais mudanças em relação ao decreto anterior, está o toque de recolher, medida que proíbe pessoas de circularem nas ruas entre 22h e 5 horas.

O governo também suspendeu aulas presenciais em escolas e universidades, o fechamento de espaços públicos a partir das 17 horas, continuidade das barreiras sanitárias e a definição dos horários de funcionamento de comércios e restaurantes. O comércio, de segunda à sexta, até às 20 horas. Nos fins de semana, até 17 às horas; restaurantes seguem até 15 horas.

 

COMENTÁRIOS