Setor de Eventos apresenta propostas ao Governo do Estado para diminuir prejuízos da categoria

Entre as ideias, estão a redução do valor do aluguel do metro quadrado no Centro de Eventos, a abertura de editais pelo Governo do Estado, a redução de tarifas de água, energia, telefonia

Foto: Divulgação

Prejudicados devido à pandemia, o setor de eventos se reuniu na tarde desta segunda-feira, 11, com representantes do Governo do Estado para apresentar um levantamento realizado sobre o prejuízo a categoria devido aos decretos estaduais e apresentar propostas de apoio financeiro. Na reunião, estavam presentes o secretário executivo de planejamento e gestão do Governo do Estado, Flávio Ataliba, o secretário de Turismo do Governo do Estado, Arialdo Pinho, e outros representantes do Estado. 

As propostas foram elaboradas pelo Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos-CE), Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape), o Fortaleza Convention & Visitors Bureau (Visite o Ceará) e a Associação Brasileira e Empresas de Eventos (Abeoc-CE). A associação de cerimonialistas e grupos de empresários de entretenimento também estavam presentes na reunião. 

Segundo Circe Jane Teles, presidente do Sindieventos-CE, a ideia é criar alternativas para que o setor não seja mais prejudicado pelas restrições devido à pandemia. “Apresentamos uma série de propostas ligadas à ajuda das empresas e possivelmente aos profissionais de eventos e também ligadas às áreas de editais para eventos virtuais e híbridos. A gente precisa trabalhar de alguma forma”, destaca.

Entre as ideias, Circe destacou a redução do valor do aluguel do metro quadrado no Centro de Eventos, a abertura de editais pelo Governo do Estado, a redução de tarifas de água, energia, telefonia, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e outras taxas, e o incentivo ao apoio de empresas parceiras em eventos futuros. 

Circe indica que, apesar da reunião ser uma espécie de “termômetro” para uma futura reunião com o governador, Camilo Santana (PT), sentiu uma boa receptividade dos representantes estaduais, que também chegaram a indicar propostas. Uma delas, a do secretária Arialdo Pinho, diz respeito à retomada do setor. A proposta do secretário teria sido sobre eventos corporativos - para até 400 pessoas e até às 20 horas - e sociais - de até 100 pessoas e até às 23 horas. 

“O secretário Taliba pediu para vermos dados mais detalhados. Depois disso, vamos encaminhar a finalização dessas propostas. Que fique frisado que esse encontro é uma prévia, mas que nós estaremos em reunião com o governador mesmo, talvez semana que vem”, destaca Circe.

Circe ainda ressalta que o setor ainda pretende ter uma reunião com o prefeito José Sarto (PDT), e adianta que uma das propostas que será feita ao líder do executivo municipal diz respeito à redução ou isenção do Imposto Sobre Serviços (ISS).

A Frisson entrou em contato com a assessoria da Seplag, que disse que só poderia dar um posicionamento sobre o assunto após a decisão do pleito presente em relação às propostas.

Eventos proibidos

Os eventos estão proibidos desde o fim de 2020, após  a publicação de decreto estadual no dia 11 de dezembro, prorrogado até o dia 31 de janeiro. Na nova atualização, foram proibidas qualquer celebração de Carnaval, da mesma forma que festas e eventos corporativos e sociais, sejam eles de natureza pública ou privada. 

Leia também | De bares à rede hoteleira, confira como funciona o comércio com o novo decreto estadual

 

COMENTÁRIOS