Fortaleza registra aumento de 24,7% em casos de Covid-19 entre outubro e novembro, indica Secretaria

O Estado também registrou aumento de 3,2%

Foto: Divulgação

Tanto o Ceará quanto a Capital registraram aumentos dos casos do novo coronavírus entre outubro e novembro, indica boletim divulgado nesta sexta-feira, 20, pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Fortaleza teve um aumento de 24,7% dos casos, enquanto o Estado registrou 3,2%. 

As porcentagens comparam as semanas epidemiológicas 42 (11 a 17 de outubro) e 43 (18 a 24 de outubro) em relação às 44 (25 a 31 de outubro) e 45 (1º a 7 de novembro).

Apesar do resultado, o número de óbitos na Capital teve uma redução 38,1%. Quando a comparação é em relação à região de Saúde de Fortaleza, que equivale à Capital e outros 42 municípios, entre Aquiraz, Beberibe, Cascavel, Caucaia, Eusébio e Pindoretama, a redução foi de 11,1%. 

Em vídeo divulgado pela assessoria da Sesa, Magda Almeida, secretária-executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, indica que, em meios gerais, houve uma redução nos casos novos de coronavírus. Entretanto, reforça o caso de algumas cidades de maior circulação, que refletem na ocupação de leitos.

“Quando a gente avalia algumas áreas, principalmente litorâneas, houve aumento, como Fortaleza e outras onde há uma circulação muito grande de pessoas, como Camocim e Aracati”. 

Segundo o IntegraSUS, para dados da tarde desta sexta-feira, os leitos estavam com 60% de sua capacidade ocupada. O número segue nessa margem desde o começo de novembro. 

Fortaleza não foi a única cidade a apresentar um aumento no número de casos de coronavírus entre o 11 de outubro e 7 de novembro. Outras sete Coordenadoria Regional de Saúde de Fortaleza (Cres) registraram incrementos, sendo estas: Caucaia (1,1%), Maracanaú (29,5%), Itapipoca (3,2%), Aracati (25,5%), Russas (22,6%), Acaraú (59,0%) e Camocim (19,4%). 

Apesar do acréscimo, o interior do Ceará registrou uma redução de 25,9% nos casos e 29% nos óbitos, também entre as semanas 42/43 e 44/45. Já na semana 46 (8 a 14 de novembro), houve redução de 22,3% nos casos confirmados e aumento de 50% dos óbitos.

 

COMENTÁRIOS