Grupo Cidade
Thaty Rabelo, uma história de superação e sucesso nos negócios e na vida

Nascida de família simples, não é à toa que a empresária Thaty Rabelo é um sucesso em tudo que faz. Além de acumular muitas funções em diversas áreas de atuação. seja no mundo da moda, onde é conhecida como "Rainha do Jeans", ou na gastronomia, com seu Jardins Lounge Bar e demais restaurantes, ela não para, corre atrás dos seus sonhos com determinação e foco, estuda, pesquisa e se lança. É o caso da Thaty Rabelo Brand, uma loja online, "sua mais nova filha", como chama, e onde está centralizando mais atenção no momento. Um sonho de infância que virou realidade.

E tem mais! Thaty atualmente também atua como influenciadora, tendo em seu perfil cerca de 55 mil seguidores. E em torno de tudo isso, tem sua prória agencia de Marketing, a PLUS, que cuida desses e dos demais projetos.

Para quem quer saber o segredo para tamanho sucesso, a empresária deixa claro: "Meu dia tem, no mínimo, quatro turnos (rsrsrsrs). Eu respiro fundo e vou. Claro, com muito planejamento, organização, conto com a ajuda de um time massa, que veste a camisa, agarra as atividades e faz acontecer. Tem que ter muita resiliência também, porque negócios hora estão bons, hora estão ruins, é uma montanha russa, literalmente. Mas tem dado certo e vai continuar dando, porque força e coragem a gente tem".

Acompanhe a entrevista completa que ela concedeu para a Frisson, com detalhes sobre a sua história, seus negócios e um pouco da rotina e dos planos para o futuro:

 

Como foi a sua entrada no mundo da moda? 

Eu sou de uma família muito simples. Lembro que, na minha infância, eu era a mais “espilicute” da turma de amigas e, na adolescência, a faculdade de Moda era algo inviável. Primeiro, porque eu não tinha como bancar os custos da faculdade; segundo, porque eu precisava trabalhar para ajudar a minha família, daí eu tive que buscar “algo de futuro”, como meus pais diziam. Eles não apoiavam a ideia. Aos 17 anos, ingressei na faculdade de Administração, mas meu sonho de trabalhar com moda nunca ficou adormecido. Para ajudar nos custos de casa, comecei a trabalhar como vendedora e olha quem estava ao meu lado, meus sonhos! Meus olhos brilhavam quando eu passava em frente às vitrines das lojas, eu via mágica acontecer na minha mente. A minha entrada no mundo da moda foi, literalmente, movida por meus sonhos e todo o caminho que percorri foi para realizá-los. Eu acho que está no meu DNA, sabe?

Você também trabalha com gastronomia, certo? Pode falar por onde você trabalhou no ramo em Fortaleza?

Entrei nesse ramo há 12 anos e, nos últimos cinco anos, eu mergulhei no mundo da gastronomia, liderando, dirigindo e inovando o restaurante Jardins Lounge Bar. Até então, em toda a minha carreira eu respirei apenas a moda. Mas, como em todas as fases das nossas vidas, devemos agarrar as oportunidades que surgem. E o Jardins veio como uma oportunidade de investimento, como algo que pudesse ter a minha identidade, a minha personalidade, mesmo sendo no meio gastronômico. Quando surgiu a ideia do Jardins , eu extrai toda minha identidade para o local e coloquei a minha assinatura, da decoração à cozinha, sempre trazendo  e preservando as vertentes da sustentabilidade, sabendo que o conceito da sustentabilidade é composto por três pilares: econômico, ambiental e social e como valorizo isso em todas as áreas da minha vida, também trazendo as tendências de moda e o meu amor por esse universo. Pesquisei, estudei, entendi quais eram as necessidades do mercado em Fortaleza e, assim, surgiu o Jardins Lounge Bar. Não à toa, o Jardins foi o primeiro point instagramável de Fortaleza e realmente é lindo. Pra onde você olhar, você encontra um local bacana pra tirar uma foto e postar nas redes sociais. A ideia era transformar o restaurante em gastrobar e assim foi feito. Hoje, graças a Deus, ele é o queridinho de Fortaleza, principalmente para as comemorações de aniversário, justamente por ser um local naturalmente decorado, com muito verde, frases inspiradoras… Quem entrar no Jardins esquece que está no meio da cidade.
 
Você trouxe uma transdisciplinaridade ao Jardins Lounge Bar, um dos locais que trabalhou, sobre prezar pela experiência como um todo, incluindo a visual. Pode falar sobre essa tendência?
 
O Jardins Lounge Bar não é apenas um dos locais em que eu trabalhei. Ele faz parte da minha vida enquanto mulher, empresária e empreendedora. Foi uma novidade, já que eu respirava moda, né? E a ideia era justamente oferecer para as pessoas um lugar confortável, agradável, com uma gastronomia diferenciada. Então, a intenção é proporcionar uma experiência única a quem visita o Jardins e fazer com que essas pessoas sintam o desejo de voltar sempre. A decoração foi pensada também para gerar um engajamento orgânico na internet e é incrível observar que os nossos clientes compram essa ideia. Então, nós unimos a moda, o marketing e o bom gosto pela gastronomia e pela música, misturamos tudo como uma poção mágica e temos o Jardins Lounge Bar. Eu queria que as pessoas se sentissem no jardim de casa, por isso trouxe muitas árvores, flores, plantas lindas para a decoração, além dos lounges, que deixam o local mais confortável e exclusivo. Investir na decoração e deixar o ambiente a cara do cliente faz com que ele tenha vontade de tirar uma foto bem bonita para postar nas redes sociais. Assim, a gente cresce de forma orgânica e agrada todo mundo.
 
Acha que a gastronomia e a moda se parecem ou se conectam de alguma forma? 

Eu sou formada em administração, né? mas sempre achei um setor muito monótono e eu precisava de movimento. Aí veio a moda. Finalmente, chegou o momento em que eu pude trabalhar com o que eu realmente queria e sonhava. Então, uni minha experiência em administração e meu amor pela moda e transformei essa mistura no que sou hoje, trabalhando com moda e gastronomia. E, de verdade, tudo é moda. Do acessório que você usa no seu cabelo ao prato que você escolhe em um jantar. Já ouviu a expressão “isso é modinha”, na internet? É porque realmente a moda está em todos os lugares, até no comportamento das pessoas. Hoje você usa uma camisa Neon e amanhã não usa mais. Assim como eu posso usar o mesmo neon em uma almofada dos lounges do restaurante. Hoje, queremos tomar uma caipirinha e amanhã já queremos um Clericot, porque todo mundo está tomando. Então, moda e gastronomia se conectam muito, sim.
 
Você lançou a marca Thaty Rabello Brand. Pode contar sobre sua trajetória? Como foi o processo de criação? Quantas coleções já teve? 
 
A Thaty Rabello Brand é a minha nova filha. É fruto de um sonho que eu alimento há anos. Mas, como eu estava focada em outras atividades, ele foi adiado. Na verdade, eu acredito até que eu tive que esperar esse tempo para que ele fosse realizado no momento certo. E esse momento chegou. Por 18 anos, eu estive à frente da maior marca de jeans do Nordeste. Vesti famosas, como Anitta, Ludmilla, Bruna Marquezine, Ágatha Moreira, Bianca Andrade (Boca Rosa), além de marcar presença no figurino de várias novelas exibidas em horário nobre da televisão brasileira. Mas, com o tempo, eu percebi que é preciso aproveitar as voltas que o mundo dá e fazer do limão uma limonada. A minha limonada é a TR Brand.
Liberdade é o meu guia. Liberdade para criar, inventar e reinventar; fazer e desfazer. É isso que eu sempre quis. Eu quero que as pessoas vejam algo e logo reconheçam: ‘foi a Thaty Rabello quem fez’, porque a minha assinatura é essa: a do feito a mão, o chamado ‘handmade’, a exaltação da moda cearense com todas as riquezas naturais que temos ao alcance. E não tem nada mais prazeroso que fazer o que amo e fazer com que a moda cearense seja reconhecida e, quem sabe, ganhando o mundo. A Thaty Rabello Brand é meu sonho reinventado que está se realizando. E, claro, eu jamais poderia abandonar meus amados projetos sociais, até porque eles também assinam a minha marca. O grafite, o bordado… São ações direcionadas ao meio ambiente, às crianças e adultos que vivem em situação de vulnerabilidade social, onde eu faço questão de reforçar que a arte é capaz de mudar vidas, basta oferecer a oportunidade e se doar.
Para levar adiante esses projetos, eu conto a parceria massa de Davi Favela e do Preto Zezé, presidente da CUFA e reconhecido nacionalmente, no projeto Grafitando Emoções, em que a gente une a arte do grafite à moda. Juntos, conseguimos realmente salvar vidas por meio da moda, porque a gente dá oportunidade para quem vive na periferia e muitas vezes não enxerga o futuro. Eu costumo dizer: a moda salva! A moda me salvou.. então eu também vou usar a moda para salvar outras vidas. Nós usamos o grafite, o bordado, para dar oportunidade a homens e mulheres que precisam de renda para construir suas vidas. 

O que faz da sua marca diferente das outras? 

Primeiro, eu sempre prezei pelo trabalho feito à mão, o que, na moda, chamamos de handmade. A partir deste estilo, fui criando minhas próprias diretrizes: como assim? o que, pra você, pode ser lixo, pra mim é uma oportunidade de trazer aquele item para uma das minhas peças. Literalmente, nada se perde, tudo se cria. Outro detalhe: roupa feita de roupa. Um short que não me cabe mais, eu consigo transformar em uma saia longa, incluindo outros tecidos e elementos que deixam a peça original. Por isso, cada peça carrega a minha assinatura, com muito grafite, bordado e renda.
Reforçando aqui que as peças também são fruto dos projetos sociais que comentei anteriormente. E, claro, sem esquecer do jeans. Afinal, a rainha do jeans está on (rsrsrsrsrs). O jeans é um estilo que eu amo e, com ele, dá para brincar de diversas formas.
Exclusividade, autenticidade, personalidade e força são as palavras que definem a Thaty Rabello Brand. É uma grife autoral de moda cearense que, além de quebrar padrões, traz como principal aliado o 'slow fashion', contando uma história real em cada peça produzida. Então, você vai ver que em cada peça foi dedicado tempo e amor. Você também não vai ver a mesma peça vestindo várias pessoas, porque, como eu disse, a marca traz exclusividade e não uma produção em massa. São looks que, realmente, fogem dos padrões que enxergamos hoje em outras marcas. É uma saia longa jeans toda grafitada, detonada, bordada. Calças em outros tecidos, com fendas bilaterais e que trazem um toque de jeans, mistura de estampas, cores, tecidos e texturas… Eu não tenho nem medo de dizer: uma peça como a da TR Brand você não vai encontrar em nenhuma outra marca de roupas.
Além disso, a TR Brand tem o poder de transformar a vida de muitas pessoas, por causa dos projetos sociais. Além dos que eu já citei, tem o Pequena Semente, onde eu dou aulas lúdicas de pintura e desenho para crianças, para que elas interajam com arte, moda, com as cores… o interessante é que, a partir do que as crianças produzem, surgem estampas exclusivas para a TR Brand, olha que incrível e nesse ano  já lançamos a primeira coleção que teve como propósito a montagem da estrutura do projeto sendo uma colab integralmente beneficente.
E ainda tem o Renda-se! Um projeto em que eu reúno mulheres (ou quem tiver interesse) para aprender a trabalhar com a renda; e o Bordando Vidas, em que o próprio nome já diz, trabalhamos com bordado. Tudo o que essas pessoas fazem é voltado para a TR Brand e, dali, elas conseguem realizar seus sonhos também.

Você possui especialidade no jeans. Pode explicar o que significa ser especialista neste estilo?

O meu amor pelo jeans veio da minha infância. Quando criança, meu sonho era ter uma calça jeans e a minha cor preferida sempre foi o azul. Do meu amor pelo jeans, nasceu a paixão pela moda. Tem uma frase que eu carrego sempre comigo: o trabalho de sonhar pequeno é o mesmo de sonhar grande. Então eu batalhei por esse sonho e hoje é realidade. 
O jeans é o tecido mais democrátido do mundo! ele é o mesmo em qualquer lugar. E vou além: do jeans pode sair desde um boné a uma sandália, lingerie. Quem não tem uma peça jeans no guarda-roupas? Desde a rainha até uma pessoa sem tantas condições financeiras. Ser especialista em jeans, pra mim, é ter liberdade para criar e não parar. Todo dia surge algo. Dependendo da lavagem que eu usar, ele muda; dependendo da modelagem ele muda. Com nenhum outro tecido, você consegue fazer tudo! O que eu amo do jeans é qe ele é feito para todo mundo. Então, ser especialista em algo, ter 20 anos de experiência em algo que, no quesito moda, o jeans é o mais complexo, porque ele é o mundo, não é como ser especialista em tecido plano.. Então ter essa experiência é maravilhoso! Não é à toa que eu sou a Rainha do Jeans (rsrsrs). Do jeans, eu crio um universo de possibilidades. E, olha como é interessante, antigamente, era inaceitável uma mulher usar uma calça jeans, porque era uma peça masculina. Hoje, eu posso pegar o jeans e transformar em uma saia longa, estilosa, moderna e fashion, colocar uma renda, um grafite... Então, o jeans, pra mim, é isso: liberdade e criatividade. E a moda tem o poder de transformar, pois nos permite ser uma pessoa diferente a cada dia.
 
Você também é diretora de Marketing. Pode falar sobre como lida com as multitarefas da sua empresa?
 
A minha história pode até parecer conto de fadas, mas, no lugar da magia, coloque uma boa dose de trabalho duro, muito estudo, determinação e autenticidade...
Não é fácil, como tudo na vida. Eu sou, primeiramente, mulher, já começo a quebrar tabus daí. Dirijo o Jardins Lounge Bar. Sou diretora criativa e de marketing do grupo América do Sol … E, agora, a TR Brand. Meu dia tem, no mínimo, quatro turnos (rsrsrsrs). Eu respiro fundo e vou. Claro, com muito planejamento, organização, conto com a ajuda de um time massa, que veste a camisa, agarra as atividades e faz acontecer. Tem que ter muita resiliência também, porque negócios hora estão bons, hora estão ruins, é uma montanha russa, literalmente. Mas tem dado certo e vai continuar dando, porque força e coragem a gente tem.
Para me guiar neste processo, eu criei a PLUS, uma House, que é a minha agência de marketing. Por meio dela, eu e meu time cuidamos de todos os nossos projetos, que são: o Jardins Lounge Bar, a Barraca América do Sol, a Pizza Time, o restaurante Fuxico Beer, a minha marca, TR Brand, e o meu perfil, enquanto criadora de conteúdo de moda e lifestyle. Então, como eu disse, tudo exige muito planejamento e todos esses negócios precisam de um olhar diferenciado para cada um deles, é um olhar mais do que 360º e eu sou muito, muito feliz com isso.
 
Ainda, você é influenciadora e já tem 55 mil seguidores em seu Instagram. Como investe no mundo da influência? 
 
Ser influenciadora digital aconteceu naturalmente. Quando eu vi, milhares de pessoas estavam me seguindo para saber como estava sendo meu dia, que look eu estava usando. Eu comecei a usar a #thatynareal e todo mundo gostou, porque eu mostro minha vida como ela realmente é, sem glamour, às vezes com cabelo natural, sem make, porque essa é a vida de muita gente, né? só quem acorda de maquiagem é atriz de novela (rsrsrsrs). O instagram foi crescendo e eu vi que seria uma oportunidade para falar sobre o que amo: a moda. Lá, eu mostro as tendências deste universo, as cores que estão em alta, como usar.. dou dicas de moda. Meu feed é cheio de referências de moda, nos stories você vê a minha VIDA REAL. Ah! tem também muito lifestyle: viagens, descobertas.. mas, se você prestar bem atenção, em resumo, é moda! Eu amo esse universo.
 
Você traz um pouco de você em cada segmento, certo? Pode falar sobre essa identidade que você gosta de compartilhar? 
 
Com certeza. Em tudo que me proponho a fazer coloco a minha identidade. Quem vê já diz: é ideia da Thaty, né? Só para você entender, o reveillon da América do Sol, que sempre foi um sucesso, foi muito elogiado pela decoração, pela gastronomia. Fizemos até um espaço dedicado aos pets, para famílias que não queriam deixar os bichinhos em casa. Tinha também o Espaço Jardins na areia da praia, que foi uma referência do Jardins Lounge Bar que levamos pra lá. Então, assim, eu gosto de dar o meu nome, literalmente, a tudo que eu faço e o meu time me ajuda a fazer tudo isso acontecer. 
 
Qual é a sua prioridade profissional no momento? E quais os seus objetivos em 2022?
 
Eu estou focando as energias na Thaty Rabello Brand, mas sem esquecer dos outros projetos. Mas quero abrir a loja física. Hoje, a loja é online. As pessoas começaram a pedir o que eu estava vestindo nas fotos que eu postava, que eram roupas que eu produzia pra mim mesma. Aí, de tanto as pessoas pedirem, eu comecei a vender, mas quero (e vou!) abrir a loja física da TR Brand. A ideia é que ela seja colaborativa, para dar oportunidade a outras marcas que conversem com a identidade da TR Brand. Então, esse é meu principal projeto para 2022, afinal ele ficou guardado no coração por muito tempo. É hora de florescer!

COMENTÁRIOS