Grupo Cidade
Economista e advogado, Ênio Leão acredita na democratização do conhecimento

O economista, advogado e professor conversou com a Frisson sobre sua história, seus interesses profissionais e sua atuação no escritório Arêa Leão e suas expectativas

Foto: Acervo Pessoal

Advogado e economista, Ênio Leão já permeou por diversas áreas profissionais e acadêmicas. Apaixonado pela Economia e pelo aprendizado, o advogado promove um diálogo entre o direito tributário e a economia, de forma a assessora empresas nas melhores decisões.

O economista, advogado e professor conversou com a Frisson sobre sua história, seus interesses profissionais e sua atuação no escritório Arêa Leão e suas expectativas agora que inicia como colunista da Frisson.

Frisson: Pode primeiro nos contar um pouco sobre sua trajetória profissional e acadêmica?

Tudo começou quando, ainda adolescente, decidi migrar de Teresina para Fortaleza, ainda nos idos da década de 90 para cursar o Ensino Médio. Montei meu primeiro negócio aos 18 anos. A falta de experiência pesou e o negócio não deu certo. Voltei a estudar e comecei a trabalhar em empresas. Graduei-me em Direito, fiz 3 pós-graduações e mestrado em Economia. Atuei em uma empresa de grande porte na capital como analista financeiro, até ser promovido a gerente geral. Fui professor universitário.

Hoje, me dedico profissionalmente à Arêa Leão, escritório que fundei e completa 15 anos em 2021. Além disso, atuo em instituições como IBEF-CE, IBGC e Primeira Chance, instituição sem fins lucrativos que apoia alunos da rede pública de alto desempenho. Sou casado, com 2 filhas lindas de 9 e 7 anos. Gosto de correr maratonas e curtir a família.

Frisson: Você permeia entre o direito e a economia. Como essas duas áreas se comunicam?

As duas áreas são complementares. Difícil entender de uma sem conhecer a outra. Adiciono ainda a contabilidade, que nos ajuda a ler os resultados das empresas e projetar seu futuro. Direito e Economia andam muito juntos quando a gente fala em finanças, porque toda operação financeira tem uma relação jurídica, um contrato, uma negociação, um impacto de alguma legislação. Por isso é importante a gente ter a soma dos dois setores para conhecer os impactos totais. 

Frisson: Quais das duas áreas você destacaria como sua profissão? Por que? 

Economia. Sempre foi minha paixão, é onde eu realmente me realizo. 

Frisson: Que outras áreas do conhecimento você também se interessa ou exerce de alguma forma? 

Sou um apaixonado pelo aprendizado, em qualquer tema. Tento aprender sobre assuntos em áreas diversas. Para minha profissão, estudo bastante, além das áreas de onde venho, a contabilidade e a administração. á lecionei na Fanor e hoje dou aula só em Pós-Graduação como professor visitante, especialmente na Unifor, uma vez por ano. Não leciono mais por falta de tempo, mas gosto muito e aprendi muito lecionando. 

Frisson: Você é um dos coordenadores do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Pode explicar como é a atuação desse órgão? 

O IBGC é um órgão sem fins lucrativos que busca desenvolver a governança corporativa no Brasil e tem capítulo em várias regiões. No Ceará responde por Ceará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte, além da região Norte. Eu sou um dos coordenadores e o nosso objetivo é divulgar a governança corporativa, especialmente as boas práticas. É uma atuação pro bono. O nosso objetivo é divulgar o tema da governança corporativa em nossa região.

Frisson: Qual a importância de uma governança corporativa para uma empresa? 

Toda empresa, de alguma forma, tem uma governança, mas ela precisa melhorar as regras de gestão, tornar a gestão clara para diminuir riscos e melhorar a longevidade da empresa. A governança tem o papel claro nisso, porque ela cria essas regras no dia a dia da empresa. Fundei a Arêa Leão e sou um dos sócios, temos outros quatro, e atuamos em diferentes estados, especialmente, Piauí, Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte. Buscamos ser o porto seguro de nossos clientes, um lugar de segurança para os nossos clientes nos assuntos que trabalhamos.

Frisson: Qual a sua atuação na Arêa Leão? E qual a sua história na empresa?

É um lugar onde nossos clientes precisam tomar decisões relevantes e procuram segurança para tomar essa decisão de maneira tranquila. Atendemos estas empresas nas áreas de fusões e aquisições, planejamento financeiro, societário e tributário.

O meu dia a dia é de assessorar empresas em questões financeiras relevantes para a empresa, questões estratégicas... E ter esse conhecimento diferente me ajuda a conseguir fazer ligações entre as áreas, entender o impacto de uma decisão financeira nas questões tributárias. Vice e versa também, sobre o impacto de uma decisão tributária na análise financeira da empresa... Ter esses dois conhecimentos me ajuda nisso.

Frisson: O senhor é colunista na Frisson. Quais as expectativas para seus textos? 

Todos nós vamos contribuir e abordar todos os assuntos das áreas do nosso conhecimento, tanto em questões mais de longo prazo como de momento. O objetivo é levar informações para as pessoas de maneira simples, sem complicar, mesmo que os assuntos sejam mais complexos, mas tentar dar uma visão de forma que todas as pessoas possam entender os assuntos que a gente ta colocando. E também quero reforçar a visão que a gene é um porto seguro em visões complexas, e ser porto seguro passa em simplificar o entendimento das questões.

Frisson: Quais são seus próximos objetivos profissionais?

Consolidar o crescimento da Arêa Leão, para que cada vez seja um negócio maior e com muitos anos além de mim. Não quero que ela se resuma ao Ênio, mas que cada vez mais atue em conselhos e ajude realmente a governança corporativa da nossa região a crescer.

Frisson: Além do advogado e economista, quem é Ênio Arêa Leão?

Sou casado, tenho duas filhas, de 9 e 7 anos. Sou maratonista. Gosto de curtir a família, de ler, sou caseiro, mas gosto de viajar, de conhecer coisas novas, mas sempre em torno da família, dessa relação tão boa e saudável.

COMENTÁRIOS