Grupo Cidade
Halder Gomes e Marta Aurélia serão homenageados no 31º Cine Ceará

Os artistas serão celebrados e receberão o Troféu Eusélio Oliveira na solenidade de abertura do festival, que está marcado para os dias 27 de novembro a 3 de dezembro

Foto: Reprodução

O cineasta Halder Gomes e a atriz Marta Aurélia foram escolhidas como as personalidades homenageadas na 31ª edição do Festival Ibero-americano de Cinema, o Cine Ceará. Os artistas serão celebrados e receberão o Troféu Eusélio Oliveira na solenidade de abertura do festival, que está marcado para os dias 27 de novembro a 3 de dezembro, em Fortaleza, 

Artista plástico, administrador e mestre em taekwondo, Halder Gomes iniciou sua carreira no cinema como dublê em filmes de artes marciais nos Estados Unidos. O diretor é conhecido principalmente  pelos filmes “Cine Holliúdy” (2012) e “O Shaolin do Sertão” (2016). Passeando por gêneros, Halder já assinou a direção de outras comédias, produções na Netflix e, em 2021, finalizou o longa “Vermelho Monet”, o primeiro drama de sua carreira.

Já Marta Aurélia reúne mais de 30 anos de carreira. Sua primeira aparição no cinema foi no longa “Luzia Homem” (1998), tendo então passado por outros filmes, grupos de teatro e ainda pela música. Ganhadora do prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Brasília por seu papel em “Milagre em Juazeiro” (1999), dirigido inclusive por Wolney Oliveira, diretor do Cine Ceará, Marta é formada em Jornalismo e especialista em teorias da comunicação e da imagem (UFC).

Segundo Wolney Oliveira, ambos os homenageados possuem sua trajetória marcada pelo evento. Marta fez diversos filmes que foram inaugurados no Cine Ceará, enquanto Halder Gomes teve a premiére de “Cine Holliúdy” no próprio festival.

Cine Ceará 2021

O evento conta com três mostras diferenciadas. A Mostra Olhar do Ceará é aberta a realizadores cearenses, radicados ou não no Estado, e residentes no Ceará há mais de pelo menos três anos. Os filmes inscritos devem ter sido concluídos a partir de janeiro de 2020 e podem ser dos gêneros de ficção, documentário, animação ou experimental.

Já a Competitiva Brasileira de Curta-metragem é aberta para produtores e diretores brasileiros ou radicados no país há mais de três anos. Na mostra, podem ser inscritos curtas-metragens de ficção, documentário, animação ou experimental, todas com até 25 minutos e que tenham sido concluídas a partir de janeiro de 2020. Ainda, as produções não podem ter participado de outros processos seletivos do Cine Ceará.

Por fim, a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem seleciona produtos de produtores ou diretores de países da América Latina, Caribe, Portugal e Espanha, e inclui filmes de animação, ficção, documentário ou experimental. As produções devem ter sido concluídas a partir de 2020 e devem ter duração mínima de 60 minutos.

"Fazer festival no período de pandemia, uma coisa positiva é que o Cine Ceará - como outros eventos - descobriu a janela do virtual. Só podia participar da programação, até 2019, pessoas de Fortaleza ou convidados. Hoje, quem é assinante do Canal Brasil ou, quer ver a mostra competitiva de curtas que pode ser vista pelo Youtube do Cine Ceará, vai poder acessar essa programação", indica o diretor do festival. 

Idealizado em 1991, o Cine Ceará acontece anualmente em Fortaleza e reúne produções cinematográficas do Ceará, Brasil e da América Latina, Espanha e Portugal. Em 2019, o festival recebeu nomes como os cineastas Juliano Dornelles e Kléber Mendonça Filho - diretores do longa "Bacurau" - e Allan Deberton, diretor do filme "Pacarrete".

 

COMENTÁRIOS