Grupo Cidade
Apesar de orientação do Ministério da Saúde, Ceará vai continuar vacinação em adolescentes

No Ceará, 196.835 adolescentes já foram vacinados pelo menos com a primeira dose da vacina

Foto: Folhapress

Apesar da mudanças de regras do Ministério da Saúde, que passou a recomendar que estados parem a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos sem comorbidades, o Ceará decidiu que irá seguir com a imunização desse grupo.  A definição foi tomada em reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e divulgada pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), em nota enviada para a imprensa. 

Nesta quinta-feira, 16, o governo Bolsonaro decidiu que adolescentes entre 12 e 17 anos sem comorbidades não tomassem a vacina e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, atribuiu o recuo do Ministério a dúvidas sobre a segurança na imunização. A exceção é para adolescentes com comorbidades, deficiência permanente ou privados de liberdades. Ainda, a pasta indicou que pessoas entre 12 e 17 anos já vacinadas não completem o esquema vacinal. 

Após decisão do MS, a Anvisa publicou uma nota Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) destacou que está investigando  a morte de uma adolescente de 16 anos, mas que, até o momento, não há indicação que relacione o ocorrido com a aplicação do imunizante da Pfizer. A Agência ainda defendeu o prosseguimento da imunização de adolescentes. 

No Ceará, 196.835 adolescentes já foram vacinados pelo menos com a primeira dose da vacina. Na nota publicada pela Sesa, nenhum dos imunizados desse grupo tiveram efeitos adversos graves no pós-vacinação.

“A Sesa entende que a imunização desse grupo populacional é fundamental para as metas de diminuição de circulação viral e consequentes abrandamento dos efeitos da pandemia e prosseguimento do plano de retomada das atividades econômicas do Ceará”, diz a Secretaria. A decisão conta ainda com o apoio dos conselhos Nacional de Secretários de Saúde (Conasems) e Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Fortaleza também seguirá a decisão. Na noite desta quinta-feira, 16, o prefeito José Sarto (PDT) indicou que a Capital “acompanha a decisão tomada pela Comissão Intergestores Bipartite de seguir com a vacinação do público de 12 a 17 anos”. Até o momento, Fortaleza já vacinou 136.243 pessoas. 

Estados divergem na decisão

Após o anúncio da decisão, estados e cidades se pronunciaram sobre a continuidade da vacinação do público. Algumas capitais, como Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Maceió, Natal, Manaus e Salvador, decidiram por interromper a vacinação. O Governo do Distrito Federal também anunciou que deve seguir recomendação do MS. 

Já o Governo de São Paulo optou por seguir imunizando o grupo, mesmo sem comorbidades, e ainda lamentou a decisão do Ministério.

 

COMENTÁRIOS