Grupo Cidade
Taxa de ocupação das UTIs no Ceará desce e chega a menos de 50% pela primeira vez em 2021

Já a taxa de Fortaleza é ainda menor que a média estadual. Com 37,39% de ocupação das UTIs, a Capital vem apresentando melhoras na situação da pandemia

Foto: Divulgação

A taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Ceará, que já vem descendo significativamente nas últimas semanas, chegou a 46,21% na tarde desta quinta-feira, 20, a menor taxa registrada desde o começo de 2021. Já a ocupação das enfermarias está em 28,72%. 

Na semana passada, a Frisson havia registrado que, no sábado, 17, a taxa estava em 57,88%, uma das menores desde novembro de 2021. A diminuição seguida apresenta boas notícias ao Estado, que em março estava com a taxa sempre acima de 85%. Todas as informações são do IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa).

Já a taxa de Fortaleza é ainda menor que a média estadual. Com 37,39% de ocupação das UTIs, a Capital vem apresentando melhoras na situação da pandemia. No último boletim epidemiológico, divulgado na sexta-feira, 16, a média móvel de casos confirmados havia diminuído 73% em relação a duas semanas atrás. 

O painel de alerta da Covid já indica que pelo menos cinco cidades do Ceará já estão com os riscos “baixos” em relação à Covid-19, o considerado o “novo normal”. Os municípios são Barroquinha, Frecheirinha, General Sampaio, Pentecoste e Palmacia. Fortaleza, entretanto, segue no nível 4, com risco “altíssimo”.

Até o último domingo, 18, o Estado aplicou 5.075.031 vacinas, sendo 3.635.895 na primeira dose e 1.297.915 na segunda. Já 141.221 pessoas receberam a vacina de dose única (Janssen).

Nesta segunda-feira, o Estado recebeu o 49º lote de vacinas contra a Covid-19, com 50.700 doses da AstraZeneca, enviadas pelo consórcio Covax/Facility e 84.600 da CoronaVac. 

COMENTÁRIOS