Grupo Cidade
Canadá anuncia abertura de fronteiras para brasileiros vacinados com duas doses a partir de setembro

Serão aceitos turistas que estejam completamente vacinados com os imunizantes AstraZeneca, Pfizer-Biotech, Moderna e Janssen, pelo menos 14 dias antes da entrada ao país

Foto: Folhapress

O Governo do Canadá anunciou que irá abrir suas fronteiras para turistas brasileiros e de qualquer lugar do mundo e que tenham completado o ciclo vacinal a partir do dia 7 de setembro. Entretanto, até o momento só serão aceitas as pessoas que tenham se vacinado com imunizantes aceitos pelo país, entre AstraZeneca, Pfizer-Biotech, Moderna e Janssen, pelo menos 14 dias antes da entrada ao Canadá. O país também irá permitir, a partir do dia 9 de agosto, a entrada de norte-americanos e de residentes permanentes, mas com as mesmas condições de vacinação. 

Apesar da notícia, o Canadá ainda não se pronunciou que aceitará turistas vacinados com a CoronaVac, um dos imunizantes mais utilizados no Brasil. Estima-se que cerca de 43,4% de todas as doses aplicadas no Brasil até o momento tenham sido as produzidas pelo Butantan. 

"O Governo do Canadá reconhece que as pessoas têm ansiosamente aguardado a reabertura das fronteiras para o mundo. Nós estamos completamente engajados com nossos colegas estadunidenses, devido aos profundos laços econômicos e familiares entre nossos dois países. O anúncio de hoje é mais um grande passo para nossa aproximação para flexibilizar as medidas de fronteira, que são orientadas por fatos, evidências científicas e o conselho de nossos especialistas em saúde pública", é o que indicou o ministro da Segurança Pública e Preparação para Emergências do país, Bill Blair, em nota enviada para a imprensa.

A França também começou a abrir fronteiras para brasileiros vacinados completamente por imunizantes aceitos pela Agência Europeia de Medicamentos (European Medicines Agency – EMA). O imunizante CoronaVac também está sendo analisado pelo órgão europeu. Já a Suíça abriu as fronteiras para brasileiros vacinados no final de junho, valendo todas as vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que inclui a Coronavac.

 

COMENTÁRIOS