Grupo Cidade
Ceará deve receber doses da vacina Pfizer nesta segunda-feira

Estado recebeu doses durante o fim de semana; doses de CoronaVac seguem insuficientes

Foto:  Tatiana Fortes/Governo do Ceará

O Ceará deverá receber na tarde desta segunda-feira, 3, 17.550 doses da vacina Pfizer. Será a primeira vez que o País recebe vacinas da farmacêutica BioNTech, produzida em parceria com a Alemanha e os Estados Unidos e utilizada principalmente em países da Europa, incluindo Alemanha, França e Portugal. O voo está previsto para aterrissar no Aeroporto de Fortaleza às 15h35min. 

Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o imunizante da Pfizer será aplicado apenas em Fortaleza devido à logística específica com baixas temperaturas, que . O imunizante deverá ser utilizado na vacinação de pessoas da 3ª fase do Grupo Prioritário. 

Com 95% de eficácia para prevenir infecções, a vacina da Pfizer utiliza o RNA mensageiro do coronavírus, ao contrário de vacinas como a CoronaVac, que usa o vírus inativado. O intervalo entre as doses deve ser de 21 dias e as vacinas necessitam de temperatura negativas para serem mantidas.

Também nessa remessa que chega nesta segunda, estarão 255.750 doses da vacina AstraZeneca. 

No último domingo, 2, o Ceará recebeu um total de 11.600 doses de CoronaVac. O número, entretanto, é insuficiente para a vacinação de municípios que estão sem vacinas. No total, 26 cidades do Ceará, como Fortaleza, Sobral e Quixadá, registraram falta do imunizante, necessário para a vacinação de segunda dose para completar o ciclo vacinal.

Só em Fortaleza, são 38.872 pessoas que necessitavam da chegada de novas vacinas para conseguir completar a vacinação. 

União entre órgãos

A Defensoria Pública do Ceará (DPCE), a Defensoria Pública da União (DPU), o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Procuradoria do Estado do Ceará (PGE) ingressaram no último sábado, 1º, com um pedido de liminar na Justiça Federal para garantir a vacinação da segunda dose de CoronaVac no Estado do Ceará.

A união busca garantir o envio de imunizantes por parte do Governo Federal pelo menos para completar a vacinação do 1º grupo prioritário no Estado. Segundo  a defensora pública Mariana Lobo, que subscreve a Ação, a descontinuidade irá afetar as pessoas mais vulneráveis.

A Secretaria de Saúde (Sesa) não confirmou quanto tempo uma pessoa pode ultrapassar dos 28 dias entre as doses de forma a não ter que recomeçar o ciclo vacinal. Apenas com ambas as doses a pessoa consegue garantir uma imunidade completa contra o novo coronavírus.

Falta de segundas doses

A finalização do estoque das vacinas CoronaVac foi anunciado nesta quinta-feira. Segundo a Prefeitura, a SMS seguiu orientação do Ministério da Saúde, que indicou que os municípios utilizassem as segundas doses estocadas como primeira dose. Entretanto, o atraso das vacinas do Butantan fez com que o Ceará recebesse poucas doses e a falta do estoque fará com que pessoas atrasem a vacinação.

Mesmo com a data marcada no cartão, a orientação é que as pessoas esperem serem agendadas para ir até os postos de saúde ou centros de vacinação. 

 

COMENTÁRIOS