Grupo Cidade
Mais de 300 lojas participam do Dia Livre de Impostos na Grande Fortaleza nesta quinta

A ação ocorre em corredores comerciais, como a Monsenhor Tabosa, e nos shoppings Iguatemi, North Shopping Fortaleza, North Shopping Jóquei e Eusébio

Foto: Divulgação

O Dia Livre de Impostos (DLI), ação organizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem (CDL Jovem) da Capital, irá reunir pelo menos 300 lojas na Grande Fortaleza nesta quinta-feira, 27. Neste dia, lojistas irão comercializar produtos sem as tributações, de forma que os descontos podem chegar a até 70%.

A ação ocorre em corredores comerciais, como a Monsenhor Tabosa, e nos shoppings  Iguatemi, North Shopping Fortaleza, North Shopping Jóquei e Eusébio. O evento não é exclusivo ao Ceará, ocorrendo em todos os estados do País mais Distrito Federal. Na lista de lojas participantes, estão as lojas de calçado Adidas, Sandelly, Sonhos dos Pés e Clube Melissa; as lojas de roupa Amarelô, Hering, Estilo Feitiço, Jolie, Meio Tom e Toli, os estabelecimentos de produtos de casa como Colchilar e Casa Parente. A venda também ocorre de forma on-line

Segundo o presidente da CDL Jovem de Fortaleza, o empresário Roberto Leite Júnior, a ação tem como objetivo sensibilizar sobre as dificuldades enfrentadas pelo setor na pandemia, como também alertar o consumidor sobre o valor pago pelo consumidor em impostos. O DLI foi criado como uma forma de manifestar a insatisfação pelo alto valor das taxas, que não freia também o poder de consumo da população. 

“O evento chama atenção para um dos principais entraves do comércio varejista: a alta carga tributária nos produtos e serviços. Com a pandemia de covid-19, os estabelecimentos foram ainda mais afetados pelo abre e fecha. Esperamos que a data aqueça o setor e reforce a necessidade da reforma tributária”, destaca, indicando que os valores descontados serão pagos pelos próprios lojistas ao governo. 

A lista completa das lojas que irão participar está disponível no site da ação

“Altos impostos sem retorno têm alto impacto na economia, criando um efeito bola de neve. Com alta taxação, os produtos ficam mais caros, então a população compra menos. Isso acarreta em diminuição dos números do varejo, que passa a contratar menos funcionários. Sem emprego as pessoas diminuem seus gastos e assim por diante em um ciclo altamente negativo para todos”, explica Roberto Leite. No total, no Brasil, serão 2010 lojas de 241 municípios participantes da ação. 

 

COMENTÁRIOS