Grupo Cidade
Sócia fundadora da Essence, Dra. Celina Frota acredita no equilíbrio entre dermatologia e autoestima

Com diversas titulações em sociedades de dermatologia e uma visão humanizada da profissão, a Dra. Celina conversou com a Frisson e compartilhou um pouco da sua trajetória

Foto: Lino Vieira

Buscar a melhor versão do paciente e garantir um envelhecimento saudável - e sem exageros. Esses são alguns dos objetivos da dermatologista Celina Frota, médica formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC) que acredita que há como encontrar um equilíbrio entre a autoestima do paciente e a busca muitas vezes exagerada por um padrão de beleza. 

Com diversas titulações em sociedades de dermatologia e uma visão humanizada da profissão, a Dra. Celina conversou com a Frisson e compartilhou um pouco da sua trajetória. Confira a entrevista: 

Frisson: Como surgiu o desejo de fazer medicina? 

Celina Frota: Meu pai é médico, então desde os sete anos de idade, convivendo com ele e vendo o amor pela medicina, eu falei que ia ser médica. Ai, com 17 anos, prestei vestibular e depois entrei na Universidade Federal do Ceará. E com 25, em 2005, me formei em medicina. 

Frisson: E o que te atraiu na Dermatologia? Era uma especialidade que sempre rodou pela sua cabeça? 

Celina Frota: Nunca passou pela minha cabeça. Passei a faculdade toda falando que não faria dermatologia, até que no penúltimo ano da faculdade, no internato, eu decidi fazer um eletivo na Santa Casa de Misericórdia no Rio de Janeiro, que é referência ao serviço de dermatologia. Aí fiz o eletivo lá, por dois meses ,e realmente me encantei pela dermatologia e decidi que seria essa a especialidade que eu ia seguir. 

Frisson: Pode falar um pouco sobre suas titulações? 

Celina Frota: Me formei na UFC em 2005, fiz residência médica no Centro de Saúde de Dermatologia Dona Libânia pelo Estado do Ceará, depois fiz prova de título pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Tenho também o título pela Associação Médica Brasileira (AMB). Sou membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, de Laser... Tenho todos os cursos, da Patrícia Leite, Bruna Bravo, fiz o curso de Botox na Universidade de São Paulo (USP). Hoje trabalho com laser, muitas tecnologias, botox e também dermatologia clínica e cabelo. Sou sócia fundadora da Essence e diretora técnica. 

Frisson: Na dermatologia, como você equilibra o desejo estético com necessidades de saúde do paciente?

Celina Frota: O equilíbrio é exatamente o bom senso e não aceitar padrões de beleza, e ter esse equilíbrio do que o que é a queixa da paciente e ajudá-lo a ser sua melhor versão, e não mudar para ter um determinado padrão de beleza. É você conseguir envelhecer bem em sua melhor versão. É ter esse equilíbrio de dizer não ao paciente quando necessário.

Frisson: Como a dermatologia dialoga com a questão da autoestima e saúde mental? 

Celina Frota: Tem muitos pacientes que vem com depressão, ansiedade, porque aquilo que eles estão vendo está impactando na autoestima. A gente conversa muito. Quando aquilo está impactando, a gente tem que tentar ajudar o paciente ao máximo, e tentar resolver. Tem muito paciente com acne, lesão de acne, que chega bem mexido. Então lasers, tecnologia, peeling, tudo isso vai ajudar bastante. Fora as pessoas que, por exemplo, se separaram, estão em um momento que precisam se olhar mais e nunca se olharam. Tem toda relação com a saúde mental. 

Frisson: Na pandemia, houve algum aumento de alguma demanda específica?

Celina Frota: Na pandemia, as pessoas nas reuniões on-line começaram a se olhar no espelho. Nas reuniões on-line, se olharam mais na tela. Vários pacientes voltaram querendo investir em si, ter esse autocuidado. Houve um aumento de preenchimento de lábio, mesmo com o uso de máscaras, e a procura de tecnologia não só facial, mas corporal. 

Frisson: Um dos problemas mais frequentes tem sido o aumento de espinhas no queixo, a “maskne”. Que dicas você dá para as pessoas com esse problema? 

Celina Frota: A dica principal é tentar trocar as máscaras com frequência, dar preferência às máscaras cirúrgicas, não de tecidos, que apertam muito. Tentar higienizar em casa para não ter tanta oleosidade, porque as máscaras mudam a flora do local, aumentam a umidade. Tentar lavar as máscaras de tecido com sabonete neutro e, ainda, ter uma rotina em casa com tônicos e cremes que vão inibir a produção de cravos e melhorar a inflamação. 

Frisson: Com quais procedimentos você trabalha? E quais você destaca como os mais seguros e eficientes?

Celina Frota: Tecnologias de radiofrequência, ultrassom microfocado, laser de microssegundos, laser de rejuvenescimento, de CO2. Já na parte corporal, toda a parte de flacidez, gordura… A parte de fortalecimento muscular, depilação à laser. Temos também a parte de cabelo, como o melhoramento da queda de cabelo pós-covid… Os [procedimentos] mais eficientes, eu acredito que sejam o ultrassom microfocado, para flacidez, e o laser de microssegundos, para textura e manchas.

Frisson: Em relação ao avanço da saúde estética, quais novos procedimentos e atualizações você gostaria de destacar? 

Celina Frota: Os novos procedimentos são as tecnologias. O grande futuro da medicina na dermatologia é você fazer tratamentos que você envelheça com naturalidade. Então, as atualizações são frequentes. Um destaque é a terapia regenerativa que está muito em alta. É isso que a gente vai esperar ainda, nos avanços da estética. 

Frisson: Qual seu objetivo como dermatologista? 

Celina Frota: É impactar vidas, transformá-las e cuidar com amor. É isso que eu faço todo dia, é o objetivo do meu trabalho. É transformar as pessoas,  fazer com que elas estejam na melhor versão delas, melhorando a autoestima, saúde mental, o relacionamento entre as pessoas e trazendo um bem estar. 

 

COMENTÁRIOS