Grupo Cidade
Ocupação de leitos de UTI da Covid no Ceará cresce 44% em duas semanas

A alta é consequência da chegada da variante Ômicron no Ceará

Foto: Divulgação

A ocupação dos leitos de UTI voltados para a Covid-19 apresentou um crescimento de 44,89% em duas semanas. No dia 27 de dezembro, a Frisson registrou que as UTIs estavam em 49%. Na manhã desta segunda-feira, 10, o IntegraSUS registrava o valor de 71,43%. O número varia também durante o dia e, pouco antes da publicação desta matéria, já havia reduzido para 59%.

A alta é consequência da chegada da variante Ômicron no Ceará. A cepa, que já está em transmissão comunitária, está sendo apontada como mais transmissível do que mutações anteriores, como Delta e Gama. 

A média móvel de casos chegou também a apresentar um aumento significativo. No dia 27 de dezembro, a média móvel estava em 168,57 positividades. Na última quinta-feira, 6, a curva epidêmica chegou a registrar 567 casos positivos. Apesar do aumento no número de casos, a média móvel de mortes não apresentou uma mudança significativa, se mantendo entre 0 e 4 desde setembro. 

Mas em relação ao número de pessoas aguardando transferências para leitos de UTI, o número cresceu de cinco, número registrado há duas semanas, para 43. O mesmo ocorreu com o número de pessoas aguardando leito de enfermaria, que passou de 32 para 133. 

Os números fizeram com que o governador, Camilo Santana (PT), regredisse em relação às liberações do novo decreto estadual. Além de cancelar o Pré-Carnaval e Carnaval, o novo documento reduz a capacidade de eventos em ambientes abertos e fechados para 500 e 250, respectivamente. 

COMENTÁRIOS